Assistência Social encaminha jovens para contratação pelo Hospital São Vicente

Por meio do programa “Jovem para o Futuro”, a Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS) tem como prática destinar jovens capacitados e que compõem um “banco de talentos” para a contratação em empresas interessadas. Neste mês, o Hospital São Vicente incluiu pela primeira vez em seu programa de contratação de aprendizes jovens que concluíram os cursos e que, agora contratados, passam a atuar nas áreas de atendimento e administrativo em diversas sessões do hospital.

O “Jovem para o Futuro” é conduzido pelo setor de Inclusão Produtiva da UGADS, que visa ao encaminhamento dos jovens capacitados para o mercado formal de trabalho. Entre as ofertas estão as Oficinas realizadas em parceria com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), oferecidas no Centros de Referência de Assistência Social (Cras) ou nos territórios; além das parcerias com a Siemens – no programa Aprendiz Formare – e com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

Para a gestora-adjunta da UGADS, Maria Brant, a iniciativa cumpre um dos objetivos da política socioassistencial. “A indicação dos jovens para o mercado formal de trabalho é mais um dos objetivos que a UGADS cumpre no acompanhamento das famílias já atendidas pelos Cras e pelo Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas). Assim, atuamos na interlocução com a iniciativa privada, que pode, em muito, se beneficiar com o potencial desses jovens formados”.

Luana Balasso, de 19 anos, é moradora do Jardim Tarumã e fez o curso profissionalizante oferecido pelo Cras São Camilo em parceria com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). “Busquei esse curso do Cras porque estava procurando emprego e sabia que os alunos poderiam ser encaminhados para contratação. Tudo o que aprendi e o apoio que o Cras me deu quando soube que eu havia sido selecionada para a vaga foram o diferencial para mim”, explica a jovem, que está atuando no controle de prontuários.

Para Luana, o curso e o apoio do Cras foram os diferenciais para sua seleção para a vaga.

Já o João Eliseu Lopes, de 18, fez curso pelo Cras Novo Horizonte. “Durante os encontros aprendi como fazer currículo, como me comportar numa entrevista de emprego e muita coisa de Informática. Recomendo aos jovens que busquem este tipo de capacitação, pois ela agrega muito conhecimento. Já estou aplicando no meu trabalho aquilo que aprendi, como, por exemplo, na montagem de agenda, no atendimento ao público, protocolo de documentos e recepção e expedição de correspondência”, compartilha o jovem.

Para a analista de RH do hospital, Susan Resende, a iniciativa mostra aos jovens as opções e oportunidades do mercado de trabalho, como instrumento de transformação social. “Os Cras e o Creas nos ajudaram muito quanto a preparar esses jovens para um processo seletivo, mostrar a importância de como se portar em uma entrevista e ao iniciar suas atividades na instituição, além da profissionalização, já que possuem diversos cursos com esse intuito. Essa parceria também tem por objetivo abrir novos caminhos para que, além da oportunidade do primeiro emprego, esses jovens também se afastem de uma possível vulnerabilidade social”.

Muito do que aprendeu João já está aplicando no novo emprego no hospital.

Inclusão produtiva
Por conta da pandemia, os cursos destinados aos jovens estão temporariamente interrompidos. O setor de Inclusão Produtiva segue disponível, no entanto, para as empresas interessadas neste banco de talentos do setor para a realização de seus novos processos seletivos. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 4583-7317.