Hospital São Vicente faz história e realiza cirurgia inédita na América Latina

Nos últimos anos, a cirurgia de prótese de quadril ou, como também é conhecida, artroplastia de quadril, tem sido tema para estudos voltados ao avanço da especialidade, que visa a reabilitação precoce dos pacientes que passam pelo procedimento. Responsável por substituir a articulação danificada ou fraturada, a prótese implantada segue o formato da anatomia original das estruturas ósseas, sendo utilizada com frequência pela área de ortopedia já que promove, de maneira ágil, a melhoria da qualidade de vida dos pacientes que necessitam do recurso. 

Reconhecida e admirada por profissionais de todo o mundo, a equipe médica de ortopedia do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo (HSV), em Jundiaí, comemora mais uma conquista após realizar a primeira cirurgia por via anterior da América Latina, utilizando a técnica denominada “Anterior Path”.

Referência para ortopedia e traumatologia, a instituição já havia alcançado o feito no início de 2017, utilizando a técnica “SuperPath”, voltada para as vias posteriores. Renomado em sua área de atuação, o médico ortopedista e traumatologista, especializado em artroplastia, Dr. Eduardo Gomes Machado, explica que ambos os procedimentos apresentaram excelentes resultados, principalmente por serem minimamente invasivos. 

Equipe médica do HSV responsável pela cirurgia Anterior Path. Foto: Divulgação
Equipe médica do HSV responsável pela cirurgia Anterior Path. Foto: Divulgação

“Esse tipo de cirurgia não se restringe ao corte pequeno do local a ser operado, já que isso é uma questão mais voltada para a estética. Nossa preocupação é como isso beneficia a recuperação do paciente, como esse procedimento será realizado perto da articulação do quadril, da cápsula articular e do musculo. Nas cirurgias minimamente invasivas, como não liberamos tanta musculatura, o sangramento e a dor são menores, fazendo com que esse paciente apresente um baixíssimo risco de transfusão sanguínea e necessidade de internação em UTI. Com a técnica, também evitamos uma complicação que é comum na prótese de quadril, a luxação. Como preservamos toda a musculatura, a prótese é mais estável, evitando o deslocamento. Na maior parte das vezes, o paciente já é liberado no dia seguinte ao procedimento”, conta Dr. Eduardo. 

As maiores incidências são de idosos com desgaste na articulação, devido à artrose e artrite reumatoide ou espondilite anquilosante, inflamação que afeta os tecidos conjuntivos, articulações da coluna e de grandes articulações, como quadris, ombros e outras regiões. No entanto, os pacientes jovens não estão livres do procedimento, uma vez que a cirurgia também é realizada em casos de fraturas do colo do fémur, por exemplo. “Percebemos que nas últimas décadas as indicações são cada vez de pacientes mais jovens. Fizemos um levantamento e nos últimos três anos, levando em conta o período anterior a pandemia, a média de idade dos pacientes de cirurgias eletivas de prótese de quadril é de 54 anos. Geralmente, são pessoas ativas, que praticam atividades físicas ou desempenham uma função que exige um grande esforço físico. As técnicas utilizadas nessa cirurgia são fundamentais para que essas pessoas não fiquem muito tempo afastadas de suas rotinas”, evidencia o ortopedista. 

O acompanhamento pré e pós-operatório é realizado no ambulatório de ortopedia do hospital, onde a equipe avalia, de forma abrangente, a condição clínica do paciente. Inovador, o método ainda encontra algumas limitações, especialmente com pacientes que possuem grandes deformidades ou que a equipe considere de risco. Porém, de acordo com os profissionais, a maioria dos casos registrados no ambulatório com indicação de prótese, são realizados normalmente. A vasta experiência da equipe em cirurgias minimamente invasivas, garante a efetividade das avaliações. O procedimento só é realizado em casos selecionados. 

Resultados Positivos 

A primeira paciente a passar pelo procedimento com uso da “Anterior Path”, foi a sra. Edmea Girotto Pellizzari, de 76 anos. “Eu estava lavando o banheiro e acabei caindo. Por conta da queda, fraturei o fêmur e precisei da cirurgia de prótese de quadril. Enquanto estávamos na consulta, eles me falaram que essa seria a primeira cirurgia a usar dessa técnica. Fiquei surpresa e desejei que desse tudo certo. Ainda é recente, mas agora estou bem, me recuperando. Continuo em acompanhamento pelo ambulatório de ortopedia do hospital e faço fisioterapia para ajudar com os movimentos”. 

Já no caso da paciente Alessandra Gonçalves de Macedo, de 46 anos, a técnica utilizada pela equipe foi a “SuperPath”. “Descobri um probleminha no joelho e o médico me disse que eu iria precisar colocar a prótese. Fiz uma cirurgia em 2019 e a outra, em julho deste ano. Já precisei do São Vicente muitas vezes e sempre fui tratada com muito carinho e profissionalismo. Também continuo com as minhas consultas no ambulatório. Nos ajuda muito ter esse tipo de procedimento e atendimento, ambos de forma gratuita, feitos via SUS”, relata a paciente com gratidão.  

Orgulho 

Pioneiro nas duas técnicas, considerado o 3º Hospital de Ensino do Estado de São Paulo e credenciado com o mesmo título pelo Ministério da Saúde/MEC, o HSV se consolidou e se tornou essencial para a formação de profissionais nas mais diversas áreas da saúde. Reforçando seu compromisso com a educação, a equipe médica de ortopedia também fará o treinamento dos médicos de toda a américa latina que atuam na colocação de prótese de quadril. 

“Estar associado a grandes nomes como a Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ), onde sou professor e a um hospital de referência como o São Vicente, é um grande prazer. Nosso serviço é de excelência e proporcionar esse benefício para os pacientes é o que nos motiva. É sempre uma satisfação poder contribuir com a saúde do município e região”, finaliza Dr. Machado.

Com informações da assessoria de imprensa

%d blogueiros gostam disto: