Sem identificação, mulher será enterrada como indigente

A mulher que morreu atropelada na Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto, na terça-feira, dia 21 de março, em Jundiaí, deverá ser enterrada como indigente até o final de semana, devido a falta de reconhecimento.

A mulher é morena escura, aparenta ter entre 35 e 40 anos, magra, bem cuidada e sem tatuagens ou cicatrizes. O Instituto Médico Legal (IML) de Jundiaí retirou amostras das digitais para análise nos computadores da Polícia, mas ela pode ser de outro estado, já que até agora não houve cruzamento das informações.

Ninguém compareceu ao Cemitério do Montenegro, na região do Jardim do Lago, para tentar fazer o reconhecimento.

O caso está sendo investigado pelo 5º Distrito Policial de Jundiaí, sob o comando do delegado Rafael Casarin Penha. Quem tiver qualquer informação que possa ajudar na identificação dessa mulher pode ligar no telefone 4581-7770.