IPTU de Jundiaí terá correção para imóveis supervalorizados

A Prefeitura de Jundiaí enviou para a Câmara Municipal projeto corrigindo a Planta de Valores de 162.270 imóveis, porque nos últimos 10 anos não houve atualização monetária nos seus cadastros. Alguns imóveis foram valorizados em 400% e há outros valorizados em mais de 1.000%. A correção média é de até 25%. Um imóvel do Vianelo tem valor venal de cerca de R$ 150 mil, enquanto que em anúncios de imobiliárias está por mais de R$ 1 milhão. Na Chácara Urbana um outro tem valor de R$ 176 mil, mas é vendido a R$ 1,2 milhão. O mesmo ocorre com casas da região da Malota e dos novos condomínios horizontais.

Jundiaí possuí hoje 140.338 imóveis construídos e mais 21.932 terrenos sem construção. Muitos deles foram valorizados com pavimentação, saneamento e outros serviços públicos, sem a correção do valor do carnê do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). A Prefeitura compara cidades grandes que também fizeram atualização, como Campinas com 30% e Ribeirão Preto, com 50%. Ao longo dos anos foram repassados apenas os índices inflacionários, mas sem correção da valorização setorial.

O projeto enviado para a Câmara Municipal está à disposição dos vereadores para análise. Eles têm condições de analisar cada item do projeto que aguarda a decisão do presidente Gustavo Martinelli, se entrará em votação na próxima terça-feira, dia 12 ou no dia 19 – que é a última sessão do ano -, para valer a partir de 2018.

A Prefeitura pretende distribuir os carnês com base na nova Planta de Valores a partir da segunda quinzena de janeiro, por meio dos Correios. Ainda no próximo ano será em forma de carnê. Algumas prefeituras resolveram abolir essa forma de pagamento, para economizar com material impresso e papel, enviando às residências apenas os códigos de barras para pagamentos, como ocorre com o IPVA. A Prefeitura de Jundiaí informa que não vai mudar o sistema, por enquanto.