Tempos mudaram. A mulher quer ser desejada

O contexto e uso da lingerie anteriormente era de esconder o corpo, com pudores, assim como ser uma peça funcional, como o corset e o espartilho, que serviam para modelar o tronco e sustentar os seios. Tais peças e conceitos foram totalmente ressignificados com o passar do tempo, vindo até a tornar-se objeto de fetiche masculino e ferramenta de sedução feminina, empoderando a mulher, conferindo-lhe a sensação de ser desejada, admirada e não mais ocultada.

A lingerie sempre teve e terá relação direta com a mulher, não apenas funcionalmente, mas torna-se reflexo de seu estilo de vida, seus desejos, beleza, poder e a força que emanam de si. A estilista Alessandra Chaves, da Vipagi, nos fala sobre o que está em alta, tratando-se de lingerie: “temos como exemplo de tendência de moda íntima, dois modelos de conjunto cropped em renda um com strappy em guipir. Super em alta também o lingerie outwear (lingerie amostra). Temos modelos de conjuntos de lingerie sem bojo, com cortes diferenciados que conferem um toque contemporâneo na peça. Além de vários modelos Plus size. No azul é um conjunto com renda Chantily que pode ser usado aparente, e o conjunto preto, temos um body com strappy e um roby sensual”. Conclui.