Roda de conversa gratuita aborda papéis da família após chegada do bebê

A filha que virou mãe, a mãe que virou avó, a sogra que ganhou um neto, o marido que virou pai: quem é quem neste quebra-cabeças de funções após a chegada de um bebê na família? Para responder esta e outras questões relacionadas aos papéis no novo sistema familiar formado a partir do nascimento de um filho, a doula Tatiana Fávaro e o terapeuta Plínio Teodoro conduzem na próxima quarta-feira (4/7) uma roda gratuita para gestantes na Casa Humanna, em Jundiaí.

Os interessados não precisam de inscrição prévia, basta chegar ao local (Rua do Retiro, 605), às 19 horas, e se possível levarem 1kg de alimento não-perecível ou um agasalho, para as doações da casa.

Pais de Helena e Francisco, o casal tem realizado rodas para gestantes, mães no pós-parto e pais em parceria com a clínica transdisciplinar. No próximo dia 21 de julho, eles darão um workshop das 9h às 17h30 para tentantes, gestantes e pais que embarcam nessa jornada.

O amor gerou
Jornalistas, Tatiana e Plínio se especializaram em desenvolvimento humano e relações familiares e uniram a expertise de 20 anos em Comunicação com ferramentas de Linguageamento, Psicoterapia Familiar Sistêmica, Constelação Familiar, Programação Neurolinguística e Psicologia Transpessoal.

Após quatro anos em São José dos Campos, o casal ensaia um retorno a Jundiaí. “Fomos pro Vale do Paraíba a trabalho, mas descobrimos que havia um propósito, um motivo maior: construir uma família. Ganhamos uma rede de apoio linda que nos ajudou a receber nossos filhos com respeito e, dessa relação, nasceu um novo caminho”, conta Tatiana.

Com o objetivo de ajudar mães e pais a conceberem, gestarem, receberem e criarem seus filhos de 0 a 3 anos com maior assertividade, o casal concebeu em 2017 o projeto O Amor que Gera – rede de apoio, palestras, oficinas, capacitação e consultoria em relações familiares e o impacto delas na formação de bebês e crianças na primeiríssima infância. “É nesses primeiros anos de vida que mais da metade da formação de um indivíduo são desenvolvidos, quando 100 bilhões de neurônios ainda não estão ligados em rede”, explica Plínio.

A primeiríssima infância é a fase áurea de produção de sinapses (ligações neuronais). “A base da formação da identidade e do sistema de crenças e valores se constrói neste período na relação com a mãe, o pai e cuidadores”, lembra Tatiana. “Portanto, quanto mais alinhadas estiverem essas relações, mais saudável será o sistema familiar e o desenvolvimento desses futuros adultos.”

Para mais informações sobre a roda de gestantes desta quarta-feira (4) e sobre o workshop do dia 21, basta entrar em contato pelo whatsapp (11) 98373-5533, e-mail [email protected] ou mensagem direta pelo Instagram @oamorquegera.

Foto: Janini Janeri
Texto: Tatiana Fávaro