Outubro Rosa movimenta usuárias de UBSs

O mês de outubro, dedicado à conscientização sobre a necessidade de prevenção do câncer de mama, tem agenda tomada por atividades nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da Unidade de Gestão de Promoção de Saúde (UGPS). Na manhã de quinta-feira (4), a UBS Esplanada realizou, pelo terceiro ano consecutivo, atividades envolvendo os usuários dos serviços públicos. O evento também promove a realização de mamografias entre as mulheres que nunca passaram pelo procedimento.

Com 16 mil cadastros ativos, a UBS Esplanada tem no público adulto a maior parcela de atendimentos. “A realização do evento garante o envolvimento da comunidade sobre o tema. O encontro conta com a distribuição de laços na cor rosa, confeccionados pelos integrantes do grupo de artesanato, sorteio de prendas, palestras e apresentação de bateria da Escola de Samba Leões da Vila Hortolândia. “A ação é uma união da Plataforma Qualidade de Vida, a partir da UGPS e da Unidade de Gestão de Esporte e Lazer (UGEL), com foco na prevenção e promoção da saúde. O câncer de mama é uma doença que, diagnosticada precocemente, tem cura”, comenta a enfermeira e gerente da unidade, Fabiana Montoro Novo. A atividade foi realizada no Complexo Educacional, Cultural e Educacional (CECE) Nilo Macedo.

Dona Solange Firmino Pedroso, 56 anos, é um exemplo de sucesso no tratamento contra a doença. “Quando tinha 42 anos descobri, por meio de mamografia, que tinha câncer de mama. Fiz tratamento, radioterapia e tomei medicação. Neste ano, recebi alta dos médicos. Após oito anos não tive metástase. As mulheres não precisam ter medo, devem buscar o atendimento e tratamento”, comenta a mulher, que também tem caso de sucesso na cura da doença com o marido, que enfrentou e venceu o câncer de laringe.

Neste mês de outubro, em todas as UBSs, as usuárias podem buscar a solicitação de exame de mamografia, a partir de 40 anos, ou a partir de 35 anos para aquelas que registram casos da doença na família. O agendamento será feito em 10 dias e, o resultado, avaliado por corpo clínico. Em caso de ocorrência de anormalidade, a mulher será encaminhada para atendimento prioritário, e, em caso de confirmação da doença, direcionada para o tratamento.