Trânsito em Jundiaí mata 53 pessoas em 10 meses

De janeiro a outubro deste ano, 53 pessoas morreram em acidentes de trânsito em Jundiaí, segundo dados do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito (Infosiga), uma média entre 5 e 6 mortes por mês. O número, que inclui ocorrências em todas as regiões considerando vias municipais e rodovias, é superior ao de cidades como populações semelhantes, como, por exemplo, Bauru (23), São José do Rio Preto (48) e Santos (38).

Segundo o diretor do Departamento de Trânsito da Unidade de Gestão de Mobilidade e Transporte (UGMT), Wlamir Lopes da Costa, o fator velocidade é um dos principais causadores dos acidentes. “O Relatório Global Sobre o Estado da Segurança Viária, da Organização Mundial da Saúde de 2015, aponta que, quanto maior a velocidade média no trânsito, maior é a probabilidade de uma colisão e maior a gravidade de suas consequências, especialmente para os pedestres, ciclistas e motociclistas”, afirma.

De acordo com o relatório, a chance de um pedestre adulto morrer se for atingido por um veículo a 50 Km/h é de menos de 20%, subindo exponencialmente para 60% se o veículo estiver a 80 Km/h. “Portanto, é correto afirmar que a imprudência dos motoristas está entre os principais fatores que causam os acidentes, seja nas rodovias ou nas vias municipais”, completa Wlamir.

Para tentar reduzir o número de acidentes no Município, a UGMT vem investindo em educação para o trânsito e também em sinalização viária. Somente este ano, mais de 50 mil pessoas participaram de alguma atividade educativa promovida pela Unidade, seja em escolas municipais, empresas ou em espaços públicos. O trabalho foi intensificado em 2018: de janeiro a setembro de 2017, 29.246 pessoas foram atingidas nas várias ações, ante 51.142 pessoas no mesmo período deste ano, um crescimento de 75%.

O gestor da UGMT, Silvestre Ribeiro, explica que as iniciativas vêm sendo realizadas em várias frentes, a fim de atingir o maior público possível. “Realizamos a campanha Maio Amarelo, distribuímos material educativo no Dia do Pedestre, fizemos uma blitz de conscientização no Dia do Motociclistas, várias atividades em escolas e empresas na Semana do Trânsito, ou seja, temos atuado de maneira intensa na conscientização de todos os envolvidos no trânsito. Acreditamos que a prevenção é o melhor caminho para reduzir o número de acidentes e mortes”, afirma.

Sinalização
A UGMT implantou de janeiro a setembro deste ano cerca de 35 mil metros quadrados de sinalização horizontal, além de 1.739 placas de regulamentação e advertência e 4 novos semáforos. Todas as ações foram realizadas com recursos próprios da pasta.

A Prefeitura também executou dois serviços importantes neste ano voltados à segurança viária. O primeiro relacionado à manutenção da sinalização na região central onde se concentra grande fluxo de pedestres, concluído em outubro tendo como resultado 4.500 metros quadrados pintados entre faixas de pedestres e a troca de 186 placas de regulamentação e advertência aos motoristas. Outra iniciativa que teve início no mês de outubro foi a manutenção da sinalização horizontal na região da Vila Arens e Vila Progresso.

Este mês, a UGMT deu início a um estudo exigido pelo Contran para levantamento de dados a fim de fundamentar a instalação de equipamentos de controle de velocidade em pontos considerados críticos que carecem de fiscalização.