Com 1,4 mil casos de dengue, Jundiaí mantém ações

A Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), órgão da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), mantém os trabalhos de bloqueio contra dengue e demais arboviroses.

Dados divulgados pela Vigilância Epidemiológica (VE) de Jundiaí apontam que, até o dia 10 de maio, foram registradas 2.981 notificações, com 1.433 casos confirmados de dengue (sendo 1.352 autóctones, 76 importados e 5 indeterminados). Outros 356 aguardam resultados. Os bairros com maior registro de casos positivos são: São Camilo (358), Novo Horizonte (279) e Ponte São João (78).

Com ações de investigação epidemiológica, orientação para eliminação de criadouros e busca ativa, as equipes de técnicos e de agentes comunitários de saúde das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), trabalham diariamente para a orientação da população sobre os cuidados necessários para a eliminação dos criadouros de mosquitos Aedes aegypti, transmissores da dengue e das demais arboviroses.

De acordo com a biomédica da UVZ, Ana Lúcia de Castro, o trabalho de orientação à população é constante e feita, nesta fase epidemiológica, com base nas notificações de casos suspeitos. “A eliminação dos criadouros é fundamental para evitar a proliferação da dengue e das demais arboviroses. A atividade das equipes é diária, no entanto, ainda localizamos muitos criadouros no interior dos quintais. Fazer uma avaliação e eliminar qualquer recipiente que possa acumular água é fundamental para o controle da dengue e demais arboviroses”, salienta.

A orientação das equipes de saúde é para que as pessoas que estejam com febre, dor no corpo e juntas, dor de cabeça e no fundo dos olhos busquem atendimento médico para o correto diagnóstico.