Dança abre Semana do Aleitamento e do Bebê

O evento de abertura da Semana Mundial do Aleitamento Materno e Semana Municipal do Bebê, realizado na noite de segunda-feira (05), no Teatro Polytheama, contou com plateia cheia para acompanhar apresentações de bebês e suas famílias, além debater sobre a importância da rede de apoio na amamentação e cuidados na primeira infância. Jundiaí, que desde o ano passado integra a Rede Latino-Americana de Cidade das Crianças, tem como meta, requalificar os espaços de modo a valorizar a participação dos pequenos na construção da cidade.

A abertura contou com apresentação de dança ‘Baby Fusion’, com centenas de mães, bebês, pais, avós e parentes, ressaltando a importância da participação de todos para facilitação da amamentação e criação das crianças. De acordo com o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde, Tiago Texera, o Município segue o caminho certo para o melhor atendimento às crianças. “Jundiaí é a primeira cidade do estado a integrar a Rede Latino-Americana da Cidade das Crianças, com a criação de políticas públicas e projetos inovadores para o atendimento dos pequenos. Jundiaí conta com uma rede de excelência para o atendimento em saúde, assistência social e educação. Conquistamos o menor índice de mortalidade infantil, em 2018, com 7,23, uma redução de 10,34% em relação ao ano anterior. Uma cidade que é boa para as crianças, é boa para todas as idades”, enfatiza.

A gestora da Unidade de Gestão de Educação, Vasti Ferrari Marques, lembra que o setor incentiva a amamentação com a disponibilização de áreas específicas nas escolas. “É um pré-requisito para ser uma Escola Inovadora, contar com o ‘Espaço de Alimentação’. Temos mais de 30 escolas com o espaço entre toda a rede da cidade. A Educação, assim como a saúde, é pilar para a formação de uma sociedade valorizada”, comenta.

Para a nutricionista e interlocutora municipal para a Primeiríssima Infância (Programa premiado internacionalmente), Rita Stringari, a mobilização da sociedade no apoio para a amamentação influencia no aumento do índice de oferta de leite materno para as crianças. “No Brasil, cerca de 30% das crianças até cinco meses são alimentadas apenas com leite materno. Jundiaí conta com rede de apoio e oferta de grupos de gestantes com orientação pela rede de atenção básica, além do Banco de Leite, que oferece o leite para os bebês prematuros hospitalizados e orientam as mães para a forma adequada de amamentação e sobre a possibilidade de doação”, explica.

Mãe de dois meninos, (Leonardo de dois anos e Bernardo de oito meses), Adriana Costa de Brito Silva, 33 anos, passou por duas experiências diferentes com a amamentação. “Meu primeiro filho tinha dificuldades e não conseguia mamar. Só então é que fomos descobrir que tem uma deficiência. Recebeu apenas as fórmulas. Isso foi doloroso para mim. Agora, com o Bernardo tudo deu certo. Ele mama perfeitamente. Acredito que a amamentação é, além de um ato de amor, uma prova de conhecimento, já que as informações são fundamentais para o sucesso do aleitamento”, argumenta.

A programação da Semana do Aleitamento Materno e Semana do Bebê pode ser consultada no site da Prefeitura de Jundiaí.