Emebs se preparam para Feira Científico-Cultural

Arthur Rodrigues Nogueira, de 7 anos, se dedica à pintura de uma casinha de madeira que fará parte de uma maquete. Aluno da Emeb Irmã Flórida Mestag, no Mato Dentro, ele irá expor sua criação, ao lado dos seus colegas de classe, na II Feira Científico-Cultural dos Estudantes Jundiaienses, e está entusiasmado “Estou pintando igual às paredes da minha casa”, explica.

Mais de 30 escolas, entre municipais e da rede privada, participarão na próxima semana do evento, que irá ocupar os três pavilhões do Parque Comendador Antonio Carbonari (Parque da Uva). Cada uma delas prepara exposições dos mais variados tipos – incluindo vídeo, música, pintura, maquetes e esculturas – para mostrar um pouco do que é desenvolvido em sala de aula pelos alunos, desde o ensino infantil até a universidade. Também estarão participando do evento o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo e a Fatec. Cerca de dez mil estudantes são esperados na segunda edição da feira, que faz parte do programa Escola Inovadora.

 

A maquete preparada pelos alunos da Emeb Irmã Flórida Mestag irá retratar as diferentes paisagens do Mato Dentro – bairro de raízes rurais – com enfoque na história e no meio ambiente. A diretora da Emeb, Tânia Vilela da Silva, conta que os alunos estão muito animados. “Desde o Infantil ao Fundamental I, todos os trabalhos envolvem pesquisas sobre a história e a identidade da nossa região”, explica.

Promovida pela Prefeitura de Jundiaí, por meio das Unidades de Gestão de Educação e de Cultura, a II Feira Científico-Cultural dos Estudantes Jundiaienses terá como tema este ano “As interações e as experiências nos caminhos da cidade”. A abertura, no dia 28 de agosto, quarta-feira, a partir das 19 horas, contará com a presença de autoridades e apresentações culturais. Nos dias 29 e 30 de agosto a exposição receberá visitas dos estudantes; no dia 31, sábado, a exposição contará com apresentações das crianças. A comunidade em geral pode visitar o evento todos os dias, e a entrada é franca.

Segundo a diretora do Departamento de Educação Infantil, Thaís Nonô, a feira é importante ao mostrar as parcerias e inovações das instituições da cidade, de forma que se crie um mapa afetivo de experiências culturais e científicas com os territórios, sejam de instituições públicas ou privadas. “Nosso objetivo é mostrar à população o que os nossos estudantes fazem de melhor, validando a qualidade das escolas jundiaienses, como um dos eixos do Programa Escola Inovadora”.

Outra escola cujos trabalhos estão em fase final é a Emeb Profa. Melania Fortarel Barbosa, no Bairro do Poste, que celebra 40 anos de sua nomeação este ano. Em clima de comemoração, e buscando as raízes da escola e do bairro, as crianças do quarto e quinto anos estão entrevistando ex-alunos e ex-funcionários, cujos depoimentos são gravados em vídeo, editados e inseridos em um canal no YouTube: o “Melania 40 Anos”.

Julia Vitória, de 10 anos, é uma das responsáveis pelas gravações. “Já tinha gravado vídeos antes, mas não postado no YouTube. Estou gostando muito”, conta. Ryan Pereira, de dez anos, e Rebecca Assumpção Machado, de 9, ficaram responsáveis pelo roteiro e pelas entrevistas. “Entrevistei uma ex-aluna que contou pra gente como a escola era antes, sem o prédio novo e sem a quadra”, conta Ryan. Os depoimentos serão exibidos em uma TV durante a II Feira, explica a Silmaira Beraldo, diretora da Emeb. “As crianças estão muito envolvidas e dedicadas aos projetos”.