Peama organiza Festival de Futsal

Professores do Programa de Esportes e Atividades Motoras Adaptadas (Peama) reuniram na manhã deste domingo (27) 40 alunos com Síndrome de Down ou deficiências intelectuais para participar do Festival de Futsal do Peama. O palco do evento foi o CECE Romão de Souza, na Colônia.

 

Todos os anos o festival é realizado, sempre com uma equipe de fora de Jundiaí convidada. Este ano, uma delegação do Ituano marcou presença.

O Festival de Futsal não teve objetivo de definir um time campeão, outro vice e assim por diante, segundo o professor do Peama, Rafael Silveira. “Nossos atletas treinam a modalidade toda semana e foram orientados de que a ideia era fazer amigos, sem o espírito de competição que eles demonstram quando iniciam um campeonato. Trata-se de uma atividade recreativa, mas que deu medalhas de participação a todos no final”, disse Rafael.

O evento teve seis times, divididos em dois grupos (1 e 2). Enquanto um jogava na quadra coberta do Romão de Souza, o outro atuava na quadra externa, cujo piso foi recentemente trocado. Cada equipe jogou quatro vezes e cada duelo tinha dois tempos de sete minutos.

Dulcineia Regis Bernardo dos Santos, o filho e a nora acompanharam o jovem Gabriel Regis Bernardo dos Santos, de 23 anos. Com Síndrome de Down, Gabriel não via a hora de marcar gols, função da qual entende bastante segundo Dulcineia, sua mãe. “A euforia dele era tanta que mal conseguiu dormir nestes últimos dias esperando pelo festival. O esporte é tudo para o Gabriel”, admitiu.

 

‘No Paraná não tem Peama’

A mãe do rapaz fez questão de elogiar o trabalho do Peama. “No projeto, meu filho sente a inclusão de perto e é muito feliz praticando esportes. Moramos só há sete meses em Jundiaí. De onde viemos, em Curitiba, não tem um Peama”, revelou. “Estar neste tipo de evento é maravilhoso”, finalizou o artilheiro Gabriel, que também pratica natação, caratê e muay thai e faz musculação.