Educação financeira também se aprende na escola

Oferecer às crianças ferramentas e conhecimentos financeiros necessários para a tomada de decisão consciente e acertadas. Esse é o princípio do Projeto Semear, realizado pela parceria da Prefeitura de Jundiaí – Escola Inovadora com o Bradesco – Unibrad, articulada pela Rede Jundiaí de Cooperação, vinculada a Unidade de Gestão Governo e Finanças e executado pela consultoria Carlotas, neste ano de 2019.

O trabalho, iniciado com a formação de professores do 3º Ano do Ensino Fundamental, resultou em projetos de 48 escolas estabelecidos respeitando as realidades e habilidades dos estudantes. Nesta quarta-feira (27), os alunos do 3º Ano da EMEB Professor Pedro Clarismundo Fornari, apresentaram para o Prefeito Luiz Fernando Machado, o gestor de Governo e Finanças, José Antonio Parimoschi, a gestora de Educação Vasti Ferrari Marques e o gerente do Bradesco – Unibra, Samuel Rizzo, os conhecimentos adquiridos ao longo do trabalho.

Iniciado em maio deste ano, o conteúdo de educação financeira e educação sócio-emocional, alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), do Ministério da Educação (ME), e integrante do Programa Escola Inovadora, foi desenvolvido com 4,1 mil alunos das EMEBs, sem nenhum ônus para a municipalidade.

A professora Luciene Aizeli de Azevedo Barbosa Ribeiro foi a responsável por aplicar a matéria para as crianças. Os alunos fizeram um exercício sobre desperdício de leite usado no café da manhã da escola e quanto isso representaria em quantidade de crianças servidas. “Antes da atividade de educação financeira, o desperdício de leite chegava a 10 litros. Após as aulas e o trabalho de sensibilização realizado com todas as salas, conseguimos reduzir para apenas meio litro, ou seja, duas canecas e meia”, contou.

Desde universo micro, o tema foi ampliado para a realidade familiar e as crianças apresentaram exemplos vividos em casa, durante a atividade de ‘compra em família’, apresentada para os gestores. Luiz Gomes, 9 anos, fez uma compra consciente: levou apenas itens que constavam na lista de compras, de necessidade e com os melhores preços. “Aprendemos que precisamos poupar, verificar os preços e comprar o que precisamos”, salientou.

Segundo a mãe de Luiz Gomes, Vanessa Gomes, 38 anos, após as aulas de economia financeira realizadas na escola, o garoto mudou o padrão de consumo e está poupando para realizar um sonho. “Ele é filho único e por isso, acabava abusando. Agora ele está mais consciente sobre o uso do dinheiro e deixou de explorar o avô, já que, quando ia ao mercado com o avô, comprava sorvete de palito e de massa. Agora, escolhe um”, contou.

Já Asheley da Silva, 8 anos, além de reduzir os desejos em gastos, se conscientizou sobre a atividade de complementação de renda realizada pela mãe: a produção de pães caseiros. “Eu ajudo a minha mãe a vender os pães que ela faz. Sei que o dinheiro que ela ganha ajuda a comprar as coisas que precisamos. Temos que vender e poupar. Eu aprendi isso aqui, nas aulas”, conta a aluna, que junto com os colegas de sala, analisaram o consumo e o desperdício dos alimentos.

Os impactos fortalecem as atividades do Programa Escola Inovadora, que tem a diretriz de desenvolver as potencialidades das crianças e prepara-las para os desafios do futuro. “Além da inserção da Língua Inglesa a partir dos 4 anos de idade, aulas de robótica e sócio-emocional, a educação financeira também é apresentada, de forma a impactar em decisões conscientes para os pequenos e também para as famílias. A Educação de Jundiaí está entre as 10 melhores do Estado e entre as 25 melhores do País; nossos alunos receberam medalha de bronze em Olimpíada de Matemática na China. Esses resultados comprovam a qualidade do serviço que é oferecido pelo município”, explicou o Prefeito Luiz Fernando Machado.

De acordo com o gestor de Governo e Finanças, José Antonio Parimoschi, a educação financeira na infância impacta em gerações mais conscientes economicamente. “As crianças passam a trabalhar com perspectivas, planejamento e posicionamento, passando a ser multiplicadores de informação com as famílias. A educação financeira faz parte das atividades desenvolvidas pelo Programa Escola Inovadora que tem o eixo principal a preparação das crianças para o futuro”, argumentou.

A Educação Financeira é conteúdo integrante da BNCC e do Currículo Jundiaiense. “Nós acreditamos que disseminar o tema entre os professores, as crianças e as famílias dos estudantes, faz com que tenhamos a propriedade de fazer com que as pessoas entendam a relevância das finanças da família, não apenas no contexto escolar, mas também na sociedade. A iniciativa é interessante porque vai propiciar a todos autonomia financeira para viver melhor e concretizar as necessidades familiares”, pontuou a gestora da Unidade de Gestão de Educação, Vasti Ferrari Marques.