Jundiaí acompanha crescimento de vendas no comércio

O segundo semestre de 2019 registrou um novo fôlego para o setor varejista. O varejo paulista deve fechar o ano com alta de 6% em relação ao ano passado, com faturamento total de R$ 741,4 bilhões. Os dados são da recente Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV) que aponta um crescimento acumulado de 5,7% no varejo do Estado entre janeiro e setembro, em comparação com o mesmo período de 2018.

Para o quarto trimestre de 2019, é esperada a permanência do ambiente positivo que, segundo a pesquisa realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), está fundamentado no otimismo dos consumidores. “Há uma perspectiva positiva quanto aos rumos da economia, maior quantia de dinheiro disponível e mais acessível aos consumidores com a liberação de recursos do FGTS, além da maior injeção do montante do décimo terceiro salário na economia, seguindo a tendência é de elevação na confiança de empresários e consumidores”, observa Edison Maltoni, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Jundiaí e Região (Sincomercio).

A melhoria dos principais indicadores ligados à renda, à queda da taxa de juros, à baixa inflação, ao nível de emprego e à facilidade de acesso a crédito estão entre outros elementos que beneficiaram diretamente o resultado de 2019 registrado até setembro (de 5,7%). Maltoni ressalta a grande movimentação de recursos no comércio no fim do ano observada na Black Friday. “Trata-se de uma data cada vez mais representativa para o varejo”, pontua.

Comparando o resultado estimado para 2019 de alguns segmentos do varejo com o apurado em 2018, os setores de bens duráveis são os que mais se destacam, com crescimento previsto de 8%; os semi e não duráveis devem crescer em um patamar de 5%, em média. As lojas de móveis e decoração, de materiais de construção, de autopeças e acessórios e as farmácias e perfumarias devem registrar dois dígitos de aumento nas vendas em comparação a 2018.

A partir dessa projeção que leva em conta o quarto trimestre, Osasco deve ser a região com maior crescimento de vendas (9%), enquanto que regiões como o Litoral, Campinas, São José do Rio Preto e Jundiaí devem se destacar, com resultados estimados em 7% acima daqueles apurados em 2018.

Em Jundiaí, a estimativa é de um faturamento na ordem de R$ 44.363.900 com destaque para as áreas de autopeças e acessórios,  concessionárias de veículos, farmácias e perfumarias, eletrodomésticos e eletrônicos e lojas de departamentos, materiais de construção,  lojas de móveis e decoração, lojas de vestuário, tecidos e calçados, supermercados, entre outras atividades.