Jundiaí amplia atendimento de Urgência e Emergência

A Prefeitura de Jundiaí contava, em 2018, com os Prontos-Socorros dos hospitais Universitário (HU) e São Vicente de Paulo, além dos Prontos Atendimentos (PAs) Retiro, Central, Hortolândia e Ponte São João para o atendimento de Urgência e Emergência, quando registrou 486.948 atendimentos. Com a inclusão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24H) Vetor Oeste, em dezembro daquele ano e a inserção do domingo ao cronograma de atendimento do PA Ponte São João, o setor fechou 2019 com crescimento de 22%, registrando 594,2 mil atendimentos.

Do total de atendimentos, 110 mil foram realizados pelas equipes da UPA Vetor Oeste. “Um ano após a implementação do modelo de resolutividade, com ofertas de exames de diagnóstico no local, confirmamos a importância do sistema que proporciona o acesso direto da população com 95% das demandas resolvidas perto de sua casa – sem a necessidade de deslocamentos para a região Central. O mesmo modelo será ampliado para a Vila Hortolândia e Ponte São João, com a instalação de unidades da Clínica da Família/Unidade Pré-Hospitalar”, explica o prefeito Luiz Fernando Machado.

Ainda em se tratando de rapidez no cuidado, toda a frota do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi renovada, que resulta em maior conforto e segurança nos deslocamentos.

Para o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde, Tiago Texera, a Saúde de Jundiaí supera os serviços emergenciais. “Em se tratando de saúde, todos os minutos contam para salvar uma vida numa ocorrência aguda. Do que a UPA Vetor Oeste foi projetada, para 9 mil atendimentos médicos/mês, a meta foi superada em 22% já no mês de julho. O valor tem se mantido ao longo do segundo semestre. Os PAs, PSs e a UPA são as portas de entrada para os casos já doentes, mas a rede é ampla e os investimentos estão sendo feitos na rede básica também, que é onde acontece a prevenção das doenças”, explica.

Mãe de Arthur, 2 anos, e Dafne, 8 anos, Sara Pedroso Alves já utilizou por várias vezes o atendimento pediátrico de urgência e emergência da UPA. “Se não fosse aqui, teria de ir até o Hospital Universitário para dar atendimento para os meus filhos. Sempre fomos bem atendidos e rapidamente. Só tenho elogios para o serviço”, comenta a mãe, que realizava inalação nos filhos que estavam com problemas respiratórios.