Jundiaí tem Plano de Ação contra o Novo Coronavírus

A Prefeitura de Jundiaí tem se preparado contra o Novo Coronavírus (COVID-19) desde o início dos alertas da Organização Mundial de Saúde (OMS). Com o Plano de Ação específico para o enfrentamento à doença, os profissionais de Saúde estão orientados com relação aos cuidados para o correto e rápido atendimento aos possíveis casos do novo vírus que, porventura, possam chegar ao Município. A população deve se atentar às informações dos canais oficiais bem como intensificar os cuidados contra doenças de transmissão respiratória.

Segundo a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Maria do Carmo Possidente, a antecipação pelo Plano de Ação é a forma adequada para a prevenção e cuidado às doenças de rápida transmissão. “Atuar de forma preventiva é fundamental para o sucesso contra qualquer doença. Jundiaí se destacou no combate à febre amarela exatamente por ter iniciado a imunização da população das áreas de risco com antecedência. Contra o COVID-19 a ação segue o protocolo da antecipação, com a orientação dos profissionais, forma de atendimento determinada para garantir a rapidez e a segurança e vigilância em saúde”, ressalta. A enfermeira informa que Jundiaí, até 17h de quarta-feira (26),  não registra caso suspeito da doença.

 

Sintomas

Ainda não há vacina contra o vírus, que tem a transmissão baseada em contaminação por contato com secreções e aspiração de gotículas. Os sintomas são: febre e dificuldade respiratória em pessoas que viajaram para países com confirmação de casos nos últimos 14 dias ou com contato com casos suspeitos que não tenham viajado, mas apresentem febre, sinais respiratórios e contato com caso confirmado da doença.

Como forma de orientar melhor à população foram disponibilizados banners nos equipamentos de saúde com indicações aos pacientes sintomáticos. Também foi disponibilizado o Boletim Epidemiológico – Novo Coronavírus, no site da Prefeitura de Jundiaí, para que a população possa se atualizar a partir de fonte oficial de informação.

É fundamental que a população que apresente sintomas e tenha o histórico de viagem ou contato com suspeito, busque por um Pronto Atendimento (público ou particular) não fique no aguardo do atendimento. “A pessoa que esteja com os sintomas deve, imediatamente, se dirigir aos Prontos Atendimentos (PAs), para receber os cuidados necessários. Vale destacar que, somente os casos classificados como graves é que exigem a internação hospitalar, conforme orientação da Organização Municipal da Saúde (OMS)”, detalha a enfermeira.