FUMAS mantém distribuição de sopa

Durante a pandemia do coronavírus, para poder manter a distribuição da sopa aos beneficiários do Programa de Suplementação Alimentar (PSA), desde a semana passada a FUMAS adaptou a forma de entrega do alimento. Para evitar que venham até os centros comunitários, a sopa está sendo distribuída aos beneficiários do programa em embalagens térmicas descartáveis.

Destinado a atender crianças de 6 meses a 12 anos, mães lactantes, gestantes, idosos e pessoas em estado de convalescença, o PSA tem como uma de suas premissas ser um complemento da refeição diária dessas pessoas. E para evitar que a refeição seja consumida mantendo todos os seus benefícios alimentícios, é recomendado que a mesma seja consumida no local onde é distribuída.

“Em função da necessidade do isolamento, estamos mudando esse critério temporariamente para que os beneficiários não fiquem sem este importante complemento na sua refeição diária”, salientou Solange Marques, superintendente da FUMAS, lembrando que o número de voluntárias atuantes no PSA também foi reduzido. “Temos muitas dessas voluntárias na faixa dos 60 anos ou grávidas, então, já estão em casa também”, acrescentou Solange.

Para evitar perda da refeição no trajeto até o centro comunitário, as caixas (hot box) térmicas são levadas da FUMAS até os locais de distribuição, onde as embalagens são montadas. “Fizemos um teste no primeiro dia levando os potes térmicos cheios de sopa, mas há muita perda pelo caminho, então, o processo de montagem passou a ser feito pelas voluntárias”, destacou.

As famílias também foram orientadas a enviar apenas um representante adulto para fazer a retirada das embalagens, levando uma sacola resistente para facilitar o transporte. “As embalagens são térmicas, mas como a sopa chega quente, precisa ser transportada dentro de uma sacola que seja resistente ao calor”, salientou Solange.

 

Doações de alimentos

Com a suspensão das aulas, a Unidade de Gestão da Educação (UGE) fez o repasse de alimentos que seriam utilizados na merenda para cerca de 750 crianças matriculadas nas unidades escolares, cujas famílias foram classificadas em vulnerabilidade social. A FUMAS também recebeu da Unidade de Educação alimentos como verduras e legumes, destinando-os ao preparo da sopa. Frutas também foram doadas e acrescidas à suplementação entregue aos beneficiários. “Isso faz com que os alimentos perecíveis não se estraguem e cheguem até às famílias que mais necessitam de ajuda”, complementou Solange.

No Jardim Sorocabana, a dona-de-casa Alessandra Cristina Garcia, mãe de dois filhos beneficiários do PSA, destacou que a entrega em embalagens está ajudando muito. “Não deixo meus filhos saírem de casa de jeito nenhum. Dessa forma, ainda continuarão recebendo a sopa”, ressaltou. O mesmo comentaram as irmãs Jaqueline e Sara Moreno, também moradoras do Sorocabana, que foram juntas buscar a sopa para entregar às três crianças que moram com elas. “Achei perfeita a solução dos descartáveis pra levar pra casa. Assim, as crianças continuam dentro de casa, seguras.”