Professores fazem manifesto sobre as aulas na pandemia

Professores procuraram o “Jornal da Região” para pedir a publicação de um manifesto e pedido de compreensão dos pais em relação das dificuldades que estão passando, diante do Coronavírus. Eles dizem que a vida toda ensinaram os alunos por meio de “abraços, agitação, rodas de conversas, risadas, laboratórios.” Agora, alguns pais estão criticando os “mestres” e os conteúdos das aulas à distância. É uma situação que “vai passar”.

Veja o desabafo:

“Devido a propagação do COVID 19- Nós da área da Educação tivemos que nos adaptar a uma nova realidade para lecionar, e acredite tanto para as famílias quanto para nós professores essa nova “sala de aula” tem sido desafiadora, pois nós professores temos aulas alimentadas por contato: abraços, agitação, rodas de conversas, risadas, laboratórios. E não ter tudo isso, estar diante somente de uma câmera afeta totalmente. Estamos nos readaptando a essa nova modalidade que é novidade para todos e será modificada todos os dias, e não deixamos de nos dedicar aos alunos, temos gastos com energia, internet de alta velocidade tudo pensando no desenvolvimento de seus filhos, então mais respeito por favor aos professores que merecem uma salva de palmas que além de fazerem o seu melhor para os alunos ainda escutam que não precisariam receber um “salário”, se você acha que essa situação está confortante para nós busque a solução do COVID- 19 e leve ao governo quem sabe ele não reabre as escolas.

Vamos ter paciência dos dois lados, é novo para todo mundo.”

#isolamentosocial
#covid-19
#aulasonline
#respeitoaoprofessor

 

Outro lado

Mãe faz manifestação

 

A leitora Ana Cromad enviou seu lado: “Gostaria que publicasse o lado dos pais que estão ensinando.

Os pais e mães são afetados e com professores sem querer dar aulas on-line durante o período que seria de aula.

E cobrar ou discordar não é questão de empatia, é questão de expor o seu lado. Algumas pessoas continuam trabalhando normalmente seja fora ou em home office, e a tarefa de fazer home school precisa de dedicação de uma carta horária de no mínimo 4 horas, onde encaixaria essas 4 horas para uma responsável pela criança se o mesmo está tendo que trabalhar? A noite? Quando a maioria precisa realizar jantar, cuidar da casa, lavar e passar roupa, deixar almoço para o dia seguinte e dar banhos nos filhos?

Os professores precisam entender que estão transferindo a responsabilidade do ensino para os responsáveis, onde isso nesse momento não é aceitável, pois no Brasil o Home School não é aceito por lei, então 99,9 não sabe como praticar.

Teria que haver um matéria auto didata preparado para criança e o responsável aplicar, o que na realidade do ensino a distância não está ocorrendo.

Os professores não estão sabendo como trabalhar o conteúdo ou não estão trabalhando corretamente ele, deixando tudo para os responsáveis, aí que está o ponto da queixa, o conteúdo não está preparado e adaptado pra ambos ficando difícil.

Se isso está ocorrendo, quem tem que ter empatia nesse momento é o professor, pois ele certamente está em casa, enquanto a maioria dos pais está saindo pra trabalhar e adicionou a carga de ensinar.

E o boleto da mensalidade e material didático está chegando normalmente todo mês sem desconto, e por termos empatia com os professores que estamos pagando sem desconto para que os professores não deixem de receber. Porém, precisamos cobrar para que façam aula on-line em tempo real e não vídeos de 15 minutos e deixar o resto pros pais fazerem, aí fica fácil, recebo normalmente e só dou 15 minutos de aula, só queremos as aulas on-line. E mesmo quem paga mensalidade paga imposto, e o salários deles não foram cortados. Porque não podem colocar uma câmera e ensinar pra sala? Então reafirmo aqui a empatia deve ser do professor ao país que estão pagando sem desconto para que fiquem em casa e não sejam prejudicados.”