Pirâmide financeira foi motivo de sequestro em Jundiaí

Cinco homens de Jundiaí pegaram todas as suas economias e ingressaram em uma “pirâmide financeira”, de um comerciante da cidade. Com a pandemia do Coronavírus o “negócio” quebrou e desesperados para recuperar o que tinham “investido”, o grupo decidiu sequestrar a família do líder do empreendimento. Mas não deu certo.

Testemunhas viram o momento do sequestro ocorrido no bairro do Cecap e repassaram para o telefone 190 da Polícia Militar, inclusive com as placas dos veículos.

Todos foram presos no bairro do Medeiros pela PM e levados para a Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

Até o final da noite desta quarta-feira (10) os investigadores interrogavam os envolvidos na ocorrência.

O sequestro

Tudo teve início com o sequestro dos pais da ex-mulher do comerciante que criou a pirâmide. O grupo passou a exigir a quantia de R$ 200 mil para pagar os investimentos e prejuízos. Obrigou o pai a chamar a filha até um ponto comercial próximo da Prefeitura de Jundiaí.

Após o Centro de Controle da Polícia Militar (COPOM) ter sido informado da suspeita de sequestro, viaturas foram avisadas em toda a cidade.

O veículo da vítima era um Range Rover, na cor branca que foi rendido por um veículo GM /Spin, na cor prata. As equipes iniciaram o patrulhamento.

 

 

Nas buscas, os policiais foram informados que o Spin se encontrava no bairro Medeiros.

De imediato deslocaram-se para lá várias viaturas, logrando êxito em abordar os integrantes de dois veículos, sendo que o veículo Spin foi abordado pela equipe de ROCAM e o veículo Citroen / C3 foi abordado pela equipe de Rádio Patrulha I-11204.

No Spin se encontravam duas vítimas da mesma família que foram libertadas ilesas e mais três sequestradores. Com um deles havia uma pistola calibre .40.

No Citroen / C3 foram abordados dois sequestradores que, com a chegada da equipe arremessou uma arma para fora do veículo, que posteriormente foi localizada, sendo uma pistola .380 com numeração suprimida.

O veículo Range Rover foi localizado próximo ao bairro Vila Marlene intacto e foi devolvido às vítimas.

Foi dada voz de prisão aos indivíduos e conduzidos até a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jundiaí, onde o delegado de plantão tomou ciência dos fatos, determinando a prisão dos envolvidos e elaborando o Boletim de Ocorrência de Extorsão, cárcere privado e porte ilegal de arma de fogo.

“Pessoas boas”

Um dos policiais que atendeu a ocorrência comentou que todos os presos são pessoas boas, trabalhadoras, mas que cometeram o erro de tentar fazer justiça com as próprias mãos, quando poderiam ter procurado uma delegacia de Polícia Civil para prestar queixa. Depois do flagrante de prisão dos envolvidos, outros clientes da “pirâmide” também foram até a delegacia para prestar queixa.

Em apenas dois dias a Polícia prendeu cerca de 25 pessoas na região de Jundiaí, lotando o Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista. Foram ações da ROTA no São Camilo, da DIG, PM e Guarda em Cabreúva e agora essa da pirâmide financeira.

Mobilização policial

Para o sucesso e esclarecimento dessa ocorrência trabalharam o cabo Reis e soldados R. Garcia e Yashima, da Rondas Ostensivas Com Apoio de Motocicletas (Rocam). Os policiais De Lima e Serafim, da Rádio Patrulha 11.204.

Tiveram apoio o Comando de Força de Patrulha, com 2º Tenente Marcelo e soldados Bruno Dias e Gonçalves, além do Comando Grupo de Patrulha, com o subtenente Bedani, cabo Monteiro e soldado Magalhães.

Foram ainda ao local o sargento Toledo, cabo Paulo e soldado Assunção, da Força Tática.

Para garantir a segurança de todos e nenhum ferido, também estiveram na ocorrência o cabo Oliveira e soldados Maykon e Oliveira.

Em outra Rádio Patrulha o cabo Diógenes e soldado Giacomin, com apoio do Motomec do cabo Vaz.