Campanha busca combater as queimadas

A Prefeitura de Jundiaí, por meio da Unidade de Gestão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente (UGPUMA), e a Fundação Antonio Antonieta Cintra Gordinho (FAACG) estão lançando uma campanha de combate às queimadas, tanto na Serra do Japi quanto em outras áreas verdes da cidade. Através de quatro vídeos, já disponíveis no YouTube e no site da Prefeitura, o objetivo da iniciativa é conscientizar moradores e visitantes do município a tomar medidas preventivas nesta época de estiagem, quando aumentam consideravelmente o risco e os casos de incêndios em matas.

Os quatro vídeos foram produzidos pela equipe da Unidade de Gestão de Inovação com o Cidadão (UGIRC) e gravados na Fazenda Ermida, de propriedade da Fundação Cintra Gordinho. Os conteúdos das produções têm caráter informativo e educativo, abordando a alta probabilidade de queimada após a soltura de balões, queima de lixo e realização de trabalhos religiosos com velas acesas perto do mato, que na maioria dos lugares está seco pela falta de chuva, típica da época.

O primeiro vídeo, de nome “Época de estiagem: o alerta”, traz depoimentos de representantes da Defesa Civil, Divisão Florestal da Guarda Municipal e do 19º Grupamento do Corpo de Bombeiros (GB). “De janeiro a junho de 2020, foram atendidas 222 ocorrências de fogo em vegetação, que destruíram 105 hectares, contra 144 casos no mesmo período do ano passado e 96 hectares de mata atingida. O crescimento foi de ocorrências foi de 35%”, disse o 2º Tenente Mondin, chefe da seção de Comunicação Social do 19º GB.

O segundo vídeo é o “Estiagem: Operação Corta-Fogo do Corpo” de Bombeiros. Já o terceiro reforça que promover queimadas é crime ambiental e o quarto tem como título “Estiagem: Brigada Rural e a união pela vida”.

Papel importante
Wagner de Paiva, diretor de Meio Ambiente da UGPUMA, revelou que a população tem um papel importante na prevenção de queimadas. Um exemplo disso está no hábito de alguns munícipes de queimar material recolhido dos quintais. Folhas, galhos e outros objetos devem ser ensacados e colocados no lixo coletado regularmente. A queima destes itens pode gerar um incêndio de grandes proporções, ferir gravemente as pessoas e causar prejuízos ao meio ambiente”, lembrou Wagner.

A Fazenda Ermida é gerida pelo Departamento de Patrimônios da Fundação Antonio Antonieta Cintra Gordinho, que atua fortemente em políticas internas de sustentabilidade. A implantação da Brigada Rural está entre estas ações.

“Há seis anos, ela foi criada, de forma voluntária, e desde então não tivemos mais nenhum incêndio na área da propriedade. Todos os focos foram rapidamente combatidos pela ação da Brigada Rural, que ganhou o apoio da Fazenda Rio das Pedras, fortalecendo ainda mais a sua eficácia. Juntamente com a Divisão Florestal e a Defesa Civil, tem sido possível controlar o grande inimigo da Serra do Japi: o fogo”, completou Sinésio da Silva, administrador da Fazenda Ermida.

Os interessados em criar uma Brigada Rural na região em que moram podem obter informações a respeito enviando um e-mail para [email protected]