Jundiaí registra duas mortes de Covid-19 e Campinas 11

A Prefeitura de Jundiaí informa que, nesta quarta-feira (26), o município contabiliza dois óbitos de residentes na cidade causado pelo Novo Coronavírus:

Homem, 65 anos, portador de doença cardiovascular crônica e diabetes. Foi internado no Hospital São Vicente de Paulo (HSV) em 30/07 e óbito registrado nesta quarta-feira (26), positivo para COVID-19.

Mulher, 74 anos, sem comorbidades registradas. Foi internada em hospital de outra cidade, no dia 10/07, mesmo dia do registro do óbito. Documentação de internação, óbito e positividade para COVID-19 foi recebida nesta quarta-feira (26).

Com estas mortes, a cidade passa a contabilizar 362 óbitos positivos para COVID-19 desde o início da pandemia.

Campinas

A Prefeitura de Campinas emitiu nota informando que está perto de atingir mil mortos pelo Coronavírus. Até agora são  984 óbitos.

Das 11 novas vítimas divulgadas nesta quarta-feira (26), uma era mulher e dez eram homens; nove apresentavam comorbidades.

Com relação à faixa etária, nove das vítimas tinham mais de 60 anos. Dentre eles, três eram maiores de 80 anos, quatro tinham de 70 a 79 e dois tinham entre 60 e 69 anos. Duas tinham menos de 60 anos, sendo uma entre 50 e 59 anos e outra entre 40 e 49.

Há 26.869 casos confirmados da doença (ontem, terça-feira, 25 de agosto, eram 26.605, são 264 a mais), 630 casos em investigação (oito a mais) e 50.383 casos foram descartados (476 a mais). Também estão sendo investigadas 14 mortes (seis a menos).

Há 380 pessoas internadas com Covid-19 (quatro a mais), e outras 380 estão em isolamento domiciliar (quatro a menos) e 25.125 pessoas já se recuperaram (253 a mais).
As vítimas

– Homem, de 58 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 18 de agosto em hospital privado. O exame foi clínico e por tomografia.

– Homem, de 77 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 24 de agosto em hospital público. O exame foi feito em laboratório privado.

– Homem, de 86 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 23 de agosto em hospital público. O exame foi feito em laboratório privado.

– Homem de 83 anos, que não tinha outras doenças. Morreu no dia 22 de agosto em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.

– Homem, de 45 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 24 de agosto em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.

– Mulher, de 66 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 24 de agosto em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.

– Homem, de 75 anos, que não tinha outras doenças. Morreu no dia 16 de agosto em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.

– Homem de 72 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 25 de agosto em hospital privado. O exame foi feito em laboratório privado.

– Homem, de 65 anos, que tinha outras doenças. Morreu no dia 25 de agosto em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz.

No Estado são 29.194 óbitos

O Estado de São Paulo registra nesta quarta-feira (26) 29.194 óbitos e 776.135 casos confirmados do novo coronavírus.

Entre o total de casos diagnosticados de COVID-19, 592.537 pessoas estão recuperadas, sendo que 87.260 foram internadas e tiveram alta hospitalar.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 52,9% na Grande São Paulo e 54,9% no Estado (outros dados no link abaixo). O número de pacientes internados é de 11.342, sendo 6.355 em enfermaria e 4.987 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 10h30 de hoje.

Hoje, dos 645 municípios, houve pelo menos uma pessoa infectada em 644 cidades, sendo 519 com um ou mais óbitos.

Perfil da mortalidade

Entre as vítimas fatais estão 16.836 homens e 12.358 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 75,8% das mortes.

Observando faixas etárias, nota-se que a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (7.370), seguida pelas faixas de 60 a 69 anos (6.878) e 80 e 89 anos (5.914). Entre as demais faixas estão os: menores de 10 anos (38), 10 a 19 anos (53), 20 a 29 anos (238), 30 a 39 anos (864), 40 a 49 anos (1.950), 50 a 59 anos (3.935) e maiores de 90 anos (1.954).

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (59% dos óbitos), diabetes mellitus (43,2%), doenças neurológicas (10,8%) e renal (9,6%), pneumopatia (8,2%). Outros fatores identificados são obesidade (7,4%), imunodepressão (5,7%), asma (3,1%), doenças hepáticas (2,2%) e hematológica (1,9%), Síndrome de Down (0,5%), puerpério (0,1%) e gestação (0,1%). Esses fatores de risco foram identificados em 23.396 pessoas que faleceram por COVID-19 (80,1%).

Perfil dos casos

Entre as pessoas que já tiveram confirmação para o novo coronavírus estão 361.607 homens e 408.482 mulheres. Não consta informação de sexo para 6.046 casos.

A faixa etária que mais concentra casos é a de 30 a 39 anos (184.756), seguida pela faixa de 40 a 49 (163.108). As demais faixas são: menores de 10 anos (17.815), 10 a 19 (34.498), 20 a 29 (128.277), 50 a 59 (117.690), 60 a 69 (70.930), 70 a 79 (36.180), 80 a 89 (17.546) e maiores de 90 (4.902). Não consta faixa etária para outros 433 casos. A relação de casos e óbitos confirmados por cidade pode ser consultada em: www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus.

No Brasil

O Brasil registrou nesta quarta-feira, 26, 1.090 mortes e 47.828 novas infecções de coronavírus, segundo dados do levantamento realizado pelo Estadão, G1O GloboExtraFolha e UOL com as secretarias estaduais de Saúde. Com isso, a média móvel de novas mortes no País nos últimos 7 dias foi de 950 óbitos.

Segundo o Ministério da Saúde, 2.908.848 pessoas já se recuperaram do coronavírus em todo o País. No total, 117.756 vidas já foram perdidas por causa da covid-19.

Sobre os infectados, já são 3.722.004 brasileiros com o novo coronavírus desde o começo da pandemia, 47.828 desses confirmados no último dia. A média móvel de casos foi de 41.420 por dia, registrados nas últimas duas semanas.

Epicentro da doença no País, São Paulo concentra o maior número total de casos e óbitos por covid-19. Nesta quarta-feira, 26, o Estado contabilizava 29.194 mortes e 776.135 casos confirmados.

O Rio de Janeiro é o segundo Estado com mais vítimas fatais (15 700). Em terceiro vem o Ceará (8.362). Na sequência estão: Pernambuco (7.460), Pará (6.102), Bahia (5.116), Minas Gerais (4 223), Amazonas (3.600), Maranhão (3.390) e Paraíba (2.371).

No ranking mundial, o Brasil é o segundo país com mais casos e mais mortes por covid-19, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, que somam 5.812.700 contaminações, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. O terceiro país com mais infectados é a Índia, com 3.669.995 casos.

Enquanto o Brasil atinge 3,7 milhões de casos e mais de 117 mil mortes pelo novo coronavírus, o Ministério da Saúde completa três meses sem ministro.

Consórcio de veículos de imprensa

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia. E se manteve mesmo após a manutenção dos registros governamentais.

O Ministério da Saúde informou, no início da noite, que o Brasil contabilizou 1.085 óbitos e mais 47.161 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Com isso, segundo a Pasta, no total são 117 665 e 3.717.156 casos confirmados pelo coronavírus. O número é diferente do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

Dados atualizados em 26/08 – 17h