Supercomputador foi o ‘culpado’ no atraso da totalização dos votos

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, disse na noite deste domingo (15) que o atraso na totalização dos votos ocorreu por causa de uma falha no supercomputador da Justiça, na sede do órgão em Brasília.

Ele explicou que um dos núcleos do processador da supermáquina falhou e travou todo o sistema, sendo necessário um reparo técnico. Ele espera nesta segunda-feira (16) divulgar em detalhes qual foi o problema de “hardware”. Era algo inesperado.

O presidente do TSE disse que foi “pequeno acidente de percurso sem nenhuma vítima”. Explicou que os votos totalizados foram impressos pelos cartórios e fixados em Mural, o que permite aos partidos fazerem um trabalho paralelo e saber quem foi o prefeito eleito.

Em Itatiba, o doutor Thomas Capeletto, que é vereador e advogado chegou a ir para a rua agradecer todos que o apoiaram nestas eleições. “Mas vou aguardar o resultado oficial”, disse.

Em Várzea Paulista também houve comemoração de cabos eleitorais do Professor Rodolfo, que saíram às ruas. Mas também não há resultado oficial.

Atraso por tempo indeterminado

“Lamento, vai atrasar. Não há nenhum risco de que o resultado não mostrar efetivamente o que foi votado”, disse Barroso a jornalistas.

“Foi um pequeno acidente de percurso sem nenhuma vítima, salvo um atraso na divulgação final do resultado. Um atraso que, espero, seja apenas de algumas horas.”

Velocidade

“O problema está sendo resolvido pelos técnicos, para a retomada mais célere do processo de divulgação. Ressaltamos que não há nenhuma relação com o vazamento de dados pessoais de servidores e nenhuma relação com a tentativa de ataque cibernético registrado neste domingo, por volta das 10 horas.

Hackers tentaram ataques simultâneos de várias partes do mundo, mas não conseguiram. Eles não tiveram acesso a urnas, que são isoladas das redes de computadores, sendo considerado um dos sistemas mais seguros do mundo.

Em Jundiaí, a juíza Valéria Lagrasta esperava que o resultado oficial fosse divulgado até às 23 horas. Mas em Brasília a informação é de que não há um prazo para corrigir a falha técnica de hardware.

O vice-presidente, Edson Fachin e o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, acompanham o inicio da apuração em telão instalado em frente ao TSE