UBS realiza atendimento e orientação sobre câncer de próstata

A Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) atua tanto na prevenção como no tratamento ao câncer de próstata. Em Jundiaí, neste mês de novembro, serão realizadas diversas ações nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), como palestras nas salas de espera, incentivo à realização de exames de PSA (antígeno prostático específico), distribuição de material impresso e atividades de orientação.

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma). “A identificação precoce é fundamental para o melhor tratamento. Jundiaí conta com todo atendimento necessário para o tratamento dos pacientes. O exame PSA é o primeiro a ser indicado quando há alguma reclamação, ou periódico, para os homens acima de 50 anos”, comenta o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), Tiago Texera.

Em todas as UBSs é colhido o exame PSA, após avaliação por profissional de saúde. Em geral, é solicitado para pacientes que apresentam os seguintes sintomas: dificuldade de urinar, diminuição do jato de urina, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite e sangue na urina. Sendo identificada alguma alteração, o paciente é encaminhado para o médico urologista, o qual atende no Núcleo Integrado de Saúde (NIS), no AME e na Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ).

O AME também oferece atendimento para os homens com a campanha ‘Filho que ama o pai leva, leva o pai ao ame’, realizada anualmente, com oferta de atendimento para urologista e cardiologista, com agendamento a partir do número 0800 779 0000.

Entre os meses de janeiro a outubro deste ano foram agendados 11,6 mil exames. Caso diagnosticado o câncer de próstata, o município oferta uma rede de atenção integral, com tratamentos de quimioterapia, radioterapia, hormonoterapia e cirurgia.

Os exames são realizados após encaminhamento feito por um profissional da Saúde. Portanto, primeiramente o paciente deve passar por atendimento nas unidades de saúde. É importante ressaltar que os exames são feitos em homens sintomáticos, para diagnóstico precoce, e o rastreio só indicado para homens acima de 50 anos com caso de câncer de próstata na família.