Jundiaí é 13ª em competitividade no Brasil

A primeira edição do Ranking de Competitividade dos Municípios, divulgado na última quinta (19) pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com o Sebrae e a startup Gove, revelou que Jundiaí é a 13ª cidade mais competitiva do País, considerando um conjunto de indicadores. Na região Sudeste, Jundiaí é a 3ª cidade mais competitiva, atrás somente de atrás de Vitória e Santos.

A pesquisa reuniu 405 municípios com mais de 80 mil habitantes e analisou 55 indicadores, como taxas de investimento, número de matrículas escolares, índice de mortalidade, segurança, abastecimento de água e acesso à telefonia; também fizeram parte da análise indicadores diretamente relacionados à gestão pública e desenvolvimento econômico, como formalidade do mercado de trabalho, tempo médio para abertura de empresas e até qualificação dos servidores públicos.

No total, o Município fez 58,60 pontos. Os primeiros três colocados foram Barueri (1º lugar, com 64,33 pontos), São Caetano do Sul (2º, com 64,30 pontos) e São Paulo (3º lugar, com 61,91 pontos). Jundiaí ficou à frente de capitais, como Recife e Rio e Janeiro, e de grandes municípios do interior, como Sorocaba e Piracicaba.

O objetivo do levantamento é oferecer ao público uma ferramenta simples e objetiva que paute a atuação de líderes públicos na melhoria da competitividade e da gestão pública. É também um documento útil para orientar o setor privado a decidir por investimentos produtivos, de acordo com as características de cada projeto. O ranking pode ser conferido aqui: https://www.clp.org.br/competitividade/ranking.

Segundo o gestor da Unidade de Governo e Finanças, José Antonio Parimoschi, “Jundiaí tem avançado nas políticas públicas que são estruturantes do desenvolvimento, repercutindo nos indicadores que medem a qualidade de vida na cidade, como na saúde, educação, investimentos e a força da economia local. É um atestado de que a cidade está no rumo certo. Além disso, criamos o Observatório (https://observatorio.jundiai.sp.gov.br/), que divulga os principais indicadores para acompanhamento do cidadão.

Saiba mais sobre o estudo
A partir de um amplo levantamento de dados disponíveis, os indicadores que compõem o estudo foram selecionados e construídos com base na literatura acadêmica que indica quais características são relevantes para determinar a competitividade municipal. A partir deste levantamento, a construção e a escolha dos indicadores finais seguiram os seguintes critérios, entre outros: relevância para o tema da competitividade, disponibilidade dos indicadores a nível municipal, mas com abrangência nacional e não apenas para regiões ou estados específicos, seleção de indicadores com mensuração objetiva e quantitativa e seleção de indicadores com recorrência na divulgação dos dados (periodicidade de divulgação de até 2 anos) e com atualização recente.

Indicadores que não estão sob gestão direta do ente municipal são considerados na avaliação (indicadores de qualidade do ensino médio, por exemplo) uma vez que o objetivo do ranking é mensurar o nível de competitividade de um município em todos os aspectos, e não exclusivamente avaliar a gestão pública municipal.