Enquanto você comemora, eles vão trabalhar

Enquanto as famílias estão em casa nas festas de final de ano, muitos profissionais estão no trabalho. Isso mesmo, afinal, serviços essenciais não param jamais! No Hospital de Caridade São Vicente de Paulo (HSV) e no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), centenas de profissionais da saúde estarão a postos para prestar assistência a pacientes internados e eventuais emergências.

Com o apoio do marido e do filho de 5 anos, a enfermeira Mônica de Paula Marcelino da Silva (foto), 34 anos, estará de plantão no dia 25 e no dia 31 de dezembro. “A minha família já está acostumada com a minha rotina e sabe que eu faço o que gosto, por isso não é nenhum sacrifício trabalhar nestas datas”, conta ela. Há um ano e quatro meses no HSV, ela diz que já fez plantões em outros hospitais da cidade nestas ocasiões. “Eu sinto que os pacientes internados nessas datas precisam muito do nosso carinho e cuidado, eles ficam muito sensíveis e tristes por terem de passar essas ocasiões num hospital”, relata.

Para minimizar esse sentimento, as equipes se esforçam. “Sempre temos alguma ação de humanização, para descontrair e fazer com que os pacientes esqueçam, pelo menos por alguns instantes, que estão hospitalizados. Às vezes entregamos um cartão escrito pela família, uma refeição diferenciada ou uma visita especial. Nos anos anteriores tivemos até apresentação de coral”, afirma. “O retorno é o sentimento de gratidão pela forma como os acolhemos e isso não tem preço”, diz.

Acostumada a visitar os familiares nas festas de final de ano, a enfermeira Samara Moreno Saltes (foto), 24 anos, enfrentará o plantão durante este período pela primeira vez. “Faz parte da profissão que eu escolhi e isso irá ocorrer outras vezes ao longo da minha carreira”, conta animada. A família virá de Ubatuba e de Minas Gerais para recebê-la após o plantão. “Eu sempre viajei até a cidade deles nesta época e desta vez farão o contrário” diz.

Para Samara, o sentimento de compaixão e dedicação ao próximo é ainda mais forte durante esses plantões. “É certo que os pacientes internados estarão mais ansiosos e tristes nesta ocasião. Gostariam de estar com seus familiares. Então teremos que ser ainda mais pacientes e atenciosos com todos”, conta ela sobre o que espera do seu próximo expediente, no dia 25.

Também no plantão do HSV estará o médico Mario Jorge Kodama (foto), 37 anos, que há 12 anos trabalha nessas datas. “Realmente sentimos satisfação em ajudar as pessoas num momento tão delicado, em uma data que era para ser festiva e estar junto da família. Sem dúvida é algo que nos deixa emocionados”, relata.

Dr. Kodama diz que a família já está acostumada com essa rotina, mas que para ele sentir falta de estar com todos é inevitável. “É claro que sentimos certa tristeza por estar longe daquelas pessoas que durante todo o ano nos apoiam e que são nosso porto seguro. Mas eles compreendem, sabem que nossa missão é cuidar do próximo, cuidar de pessoas e cuidar de nossa cidade”, afirma.

No SAMU o médico especialista em emergência Marcelo Okamura (foto), 49 anos, com 25 de dedicação à profissão, estará em alerta no dia 24 à noite, dia 25 e no dia 1º. Acostumado com esses plantões, relata que em geral o serviço atende vítimas de acidentes de trânsito e situações que envolvem o uso abusivo de álcool.

Para que o trabalho nessas ocasiões não tenha grandes impactos na vida familiar, ele revela que o segredo é ter planejamento. “Sempre procuro me planejar e minimizar as expectativas dos pais, da esposa e dos filhos, assim a distância nessas ocasiões se torna menos dolorosa para eles e para nós também”, explica.

O médico diz que é comum sentir a falta da família neste momento, mas que situações de emergência não têm hora para ocorrer e a compensação vem quando vê uma vida salva por meio de seu ofício. “Agora mesmo eu acabo de vir de um atendimento que exigiu o suporte do helicóptero Águia, da Polícia Militar, e soube que por causa de nosso primeiro atendimento, a vítima não irá perder uma das pernas”, descreve com orgulho sobre uma ocorrência envolvendo moto e carro. “Isso nos dá o senso de ter cumprido o nosso dever de cuidar bem das pessoas”, finaliza.

Além dos profissionais acima, há o empenho de uma equipe que nem sempre aparece, mas que também estará cumprindo plantão nas festas de final de ano. São motoristas, profissionais da higiene, cozinheiros, telefonistas, farmacêuticos, controladores de acesso, recepcionistas e tantos outros que seguem na linha de frente para que a comunidade possa vivenciar este momento em família, tendo a confiança de que, se precisarem, esses anjos estarão à disposição.