Itupeva celebra Dia do Padroeiro da cidade

A tradicional Festa Litúrgica de São Sebastião teve início no domingo (17) e seguirá até esta quarta-feira (20) para celebrar o Dia do Padroeiro de Itupeva, comemorado anualmente em 20 de janeiro. O Tríduo Preparatório é marcado por missas presididas por padres convidados.

De acordo com o pároco, Marcos Adriano Paulino, mensagens de esperança e fé são transmitidas aos fiéis. “Nesta festa, estamos pedindo a intercessão de São Sebastião para que sejamos livres de todas as pestes e, sobretudo, dessa pandemia que assola todo o mundo”, comentou.

Confira a programação completa da Festa Litúrgica:

Na terça-feira (19), às 19h30, o padre Diego Araujo – ordenado há 6 meses – será o responsável pela celebração.

Por fim, na quarta-feira (20), no Dia do Padroeiro da Paróquia e da cidade de Itupeva, acontecerão mais duas missas: às 08h30, presidida pelo padre Átila D’Stefani, e às 19h30, com o padre Marcos Adriano Paulino, auxiliado pelo diácono Maurício.

A princípio na quarta-feira seria celebrada apenas uma missa, porém, como é o dia do Padroeiro, a organização da Igreja pede para que as pessoas que não trabalham ou não tenham compromisso de manhã, que compareçam à primeira missa, o que ajudará e muito, já que darão oportunidade para as pessoas que trabalham nesse dia, participem da missa da noite.

A Festa Litúrgica da Paróquia São Sebastião, na avenida Brasil, 180, no Centro, conta com a presença dos fiéis seguindo os protocolos sanitários e de saúde, a partir da aferição de temperatura corporal, respeitando o distanciamento social entre as pessoas, reforçando a importância do uso do álcool em gel para higienização das mãos e obrigatoriedade de máscaras de proteção facial.

Além disso, os canais oficiais da paróquia nas redes sociais (Facebook e Youtube) ‘saosebastiao.itupeva’ transmitem ao vivo, as missas durante os quatro dias.

HISTÓRIA

O período é marcado por muita fé e devoção, resgatando a história de São Sebastião, que nasceu em Narbona, na França, em 256 d.C. Seu nome de origem grega, Sebastós significa divino e venerável.

Ainda pequeno, sua família mudou-se para Milão, na Itália, onde ele cresceu e estudou. Sebastião optou por seguir a carreira militar de seu pai.

No exército romano, chegou a ser capitão da 1ª Guarda Pretoriana. Naquela época, o cargo em questão era ocupado somente por pessoas ilustres, dignas e corretas.

Sebastião era muito dedicado à carreira, sendo reconhecido por amigos e até pelo imperador romano, Maximiano.

O império romano era governado por Diocleciano, no oriente, e por Maximiano, no ocidente. Maximiano não sabia que Sebastião era cristão. Não sabia também que Sebastião, sem deixar de cumprir seus deveres militares, não participava dos martírios nem das manifestações de idolatria dos romanos.

Por isso, São Sebastião é conhecido por ter servido a dois exércitos: o de Roma e o de Cristo. Sempre que conseguia uma oportunidade, visitava os cristãos presos, levava uma ajuda aos que estavam doentes e aos que precisavam.

Sebastião foi um dos soldados romanos mártires e santos, cujo culto nasceu no século IV e que atingiu o seu auge nos séculos XIV e XV, na Igreja Católica.