Jundiaiense toma vacina e diz que está bem

Um dos primeiros jundiaienses a tomar a Coronavac é Fabrício Sprocati Gonçalves Dias, morador no Jardim Shangai ao lado da Unip e que trabalha no Hospital das Clínicas, em São Paulo. Ele tomou na manhã desta terça-feira (19) e disse que não está sentindo absolutamente nada de reação.

A esposa, Patrícia, disse que é boa notícia, já que tem dois filhos e existe toda essa preocupação com quem trabalha na linha de frente, nos hospitais.

Na segunda-feira (18) o Governo do Estado distribuiu a vacina para centros regionais de Saúde do Estado.

Nesta terça-feira os caminhões iniciaram a distribuição para a Grande São Paulo, Vale do Ribeira e Sorocaba.

As remessas destinam diretamente a 26 Prefeituras de cidades com mais de 30 mil habitantes e a outros dois Grupos de Vigilância Epidemiológica (GVE) regionais que farão a subdivisão para cidades menores em suas áreas de atuação.

No decorrer desta semana, as 645 cidades receberão seus quantitativos iniciais. Diariamente, a Secretaria divulgará os próximos destinos e quantitativos, dando transparência aos estoques previstos para cada local.

Neste primeiro momento, profissionais de saúde, idosos com mais de 60 anos e pessoas com deficiência vivendo em instituições de longa permanência, indígenas aldeados e quilombolas receberão as doses, com o apoio de equipes da atenção primária do SUS, segundo as estratégias adequadas ao cenário local.

Estes públicos são prioritários considerando os critérios de exposição de infecção e risco para agravamento ou óbito pela doença. A inclusão de novos grupos populacionais será norteada pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações), do Ministério da Saúde.

A divisão das grades foi baseada no quantitativo proporcional de vacinas previsto para São Paulo conforme o PNI. O total de 1,5 milhão de doses é a referência para trabalhadores de saúde baseado na última campanha de vacinação contra a gripe. Esta mesma referência é utilizada para cálculo das grades regionais e para cada cidade.

A campanha de imunização contra a COVID-19 em São Paulo será desenvolvida segundo a disponibilidade das remessas do órgão federal. À medida que o Ministério da Saúde viabilizar mais doses, as novas etapas do cronograma e públicos-alvo da campanha de vacinação contra a COVID-19 serão divulgadas pelo Governo de São Paulo.