Palmeiras perde nos pênaltis e fica em 4º

O Palmeiras voltou a frustrar a torcida e teve um novo resultado negativo nesta quinta-feira no Mundial de Clubes da Fifa. A equipe perdeu para o Al Ahly, do Egito, nos pênaltis por 3 a 2 depois de um empate por 0 a 0 no tempo normal. Com atuação apática e pouca produção ofensiva, o atual campeão da Copa Libertadores deixa o Catar com o quarto lugar e com a necessidade de evoluir para poder vencer o Grêmio na final da Copa do Brasil. Felipe Melo perdeu a cobrança decisiva.

O Palmeiras que fez 3 a 0 no River Plate fora de casa e goleou o Corinthians por 4 a 0 dias depois não é o mesmo que se apresentou no Catar. Uma equipe de pouca criatividade, raríssimas finalizações e com um evidente cansaço protagonizou atuações apáticas. No retorno ao Brasil, fica o alerta da necessidade de se preparar bem para a final da Copa do Brasil, contra o Grêmio.

O Al Ahly jogou desfalcado dos dois principais jogadores. O meia El-Shahat e o atacante Kahraba foram suspensos pela Fifa por desrespeitar o protocolo de prevenção contra o novo coronavírus. Ainda assim, o campeão africano deu trabalho. O Palmeiras teve quatro mudanças no time titular em relação à semifinal, mas não conseguiu melhorar a criação de jogadas e resolver a lentidão da equipe.

A partida começou complicada para o Palmeiras. O time egípcio estava mais organizado em campo e conseguia criar com mais velocidade e intensidade. Cansado pela sequência de jogos, o atual campeão da Libertadores perdia divididas e chegava atrasado nos lances. A força física dos africanos também prevalecia e, no estádio, a colônia egípcia no Catar se fez presente e cantava forte.

Desligado, o Palmeiras errou uma saída com Felipe Melo e quase saiu atrás aos 25 minutos de jogo. A equipe dava espaços e não conseguia acompanhar a velocidade de Bwalya. As chances no ataque só começaram a sair depois dos 30 minutos, quase sempre em jogadas aéreas. Cabeçadas de Rony e Luiz Adriano obrigaram o goleiro El Shenawy a trabalhar e mostraram um possível ponto fraco a ser explorado.

Pelo menos no segundo tempo o Palmeiras começou melhor. O time adiantou a marcação e passou a roubar mais bolas no campo de ataque. O Ah Aly mexeu logo na sequência para voltar a ameaçar e conseguiu equilibrar as ações. A equipe alviverde não conseguia finalizar e levou um grande susto aos 21 minutos. Weverton fez uma ótima defesa em um voleio de El Soleya. Ajayi marcou no rebote, mas estava impedido.

A equipe egípcia trocou todo o setor ofensivo no segundo tempo para confirmar a vitória. O Palmeiras só mexeu no time aos 35 minutos da etapa final. O objetivo foi conseguir dar velocidade e fazer a atuação ser menos apática. Mas era tarde demais. A partida estava muito truncada e teve de ser decidida nos pênaltis.

Nas cobranças, o aproveitamento das equipes foi ruim. O Palmeiras perdeu três chutes, dos quais dois foram defendidos pelo goleiro. Felipe Melo foi quem errou a última cobrança. Mesmo com Weverton defendendo um dos chutes, foi pouco. O Ah Ahly foi premiado pela eficiência.

FICHA TÉCNICA

AL AHLY 0 (3) x (2) 0 PALMEIRAS

AL AHLY – El Shenawy; Hany, Benoun, Ayman e Ibrahim; Fathi, El Soulia e Afsha (Sherif); Akram (Dieng), Bwalya (Ajayi) e Taher (Mohsen). Técnico: Pitso Mosimane.

PALMEIRAS – Weverton; Mayke, Luan, Gómez e Viña; Patrick de Paula (Danilo), Felipe Melo e Raphael Veiga (Gabriel Menino); Rony, Willian (Gustavo Scarpa) e Luiz Adriano. Técnico: Abel Ferreira.

GOLS NOS PÊNALTIS – Benoun, Hany e Ajayi marcaram. El Soulia e Mohsen perderam. Scarpa e Gómez marcaram. Rony, Luiz Adriano e Felipe Melo perderam.

ÁRBITRO – Maguette Ndiaye (Senegal).

CARTÕES AMARELOS – Weverton, Willian e Patrick de Paula.

RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.

LOCAL – Estádio Education City, em Doha, no Catar.

 

“Foi aprendizado”, diz técnico

O técnico Abel Ferreira disse nesta quinta-feira que o quarto lugar do Palmeiras no Mundial de Clubes, no Catar, serve como aprendizado tanto para ele para o elenco. Em entrevista coletiva após perder a disputa da terceira colocação para o Al Ahly, do Egito, o português afirmou que a experiência obtida no torneio servirá de aprendizado para todos no time.

O Palmeiras encerrou a participação com derrota nos pênaltis por 3 a 2 após o empate sem gols no tempo normal. Abel disse que se sente orgulhoso por ter conquistado a Libertadores e feito a equipe chegar ao Mundial, mesmo com a campanha no Catar ter terminado sem vitórias.

“Muita gente queria estar no meu lugar, no lugar dos meus atletas. Essa experiência vai nos deixar mais fortes. Saímos com cicatrizes, mas essas cicatrizes nos tornarão mais preparados para darmos uma resposta no futuro pela aprendizagem que tivemos aqui”, afirmou Abel.

O treinador português de 42 anos declarou que por ser jovem, adquiriu no Mundial de Clubes uma bagagem muito importante para a carreira. E o mesmo vale para os atletas. “Com toda humildade, vou dizer: para mim, é tudo novo, sou muito jovem. Mesmo nosso time sendo jovem também, para nós é uma grande oportunidade vir ao Mundial, crescer com essa experiência. Foi negativa, temos que assumir. Mas a vida tem me ensinado que nos momentos de dor, temos de aprender”, comentou.

A equipe agora retorna ao Brasil com uma agenda de jogos grande pela frente. Já no domingo, o Palmeiras enfrenta o Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro, e terá mais outros dois compromissos na mesma semana: um na quarta e outro na sexta. Ainda no fim do mês, a equipe decide a Copa do Brasil diante do Grêmio. O primeiro jogo será no dia 28 e o segundo em 7 de março.

Apesar de não ter vencido nenhum dos jogos no Catar, o técnico do Palmeiras afirma que isso não vai afetar a confiança da equipe para o restante das partidas da temporada. “Quando cheguei (ao clube), falaram que eu não títulos. Um título já temos (a Libertadores) e agora temos mais algumas oportunidades pela frente para conquistar e estaremos preparados para conquistar”, explicou.

Abel minimizou também o fato de o Palmeiras não ter feito gols nas duas partidas disputadas no Mundial. “Não fizemos gols, mas os adversários só nos fizeram gols por pênalti. Só conseguiram fazer gol assim. Hoje foi assim. Conseguimos criar nossas chances”, afimrou. “Fomos superiores. Sempre é muito bom ganhar, mas temos de saber perder”, avaliou.

Foto: Cesar Greco