IML identifica traumatismo craniano na morte de cobrador

A família do cobrador Ronaldo Gimene, de 40 anos, procurou o “Jornal da Região” para mostrar laudo do Instituto Médico Legal (IML) que aponta como causa da morte dele por Traumatismo Craniano. Diante das novas evidências, o delegado do 1º Distrito Policial de Jundiaí, Antônio Dota Júnior deverá mudar o rumo das investigações.

Na versão apresentada inicialmente para a Polícia Civil, funcionários da loja Cem da rua Vigário J J Rodrigues informaram que ele estava segurando uma escada de alumínio e começou a passar mal, sendo chamada uma viatura de salvamento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). A equipe teria constatado o óbito em seguida, ao dar entrada no Hospital São Vicente de Paulo.

A família de Ronaldo quer que a Polícia Civil apure os fatos.

Ronaldo residia na Vila São José, em Várzea Paulista e deixou um filho de 19 anos, uma filha de 11 anos e a esposa.

A função dele era cobrador, mas realizou serviços internos na loja porque a moto estava quebrada para trabalhar.