Cães da Guarda animam crianças de abrigo

As crianças e adolescentes abrigados na Casa de Nazaré tiveram uma manhã animada na sexta-feira (23), com a visita dos cães da raça Labrador Black e Pantera, do Canil da Guarda Municipal de Jundiaí (GMJ). Além receber dar muito carinho para a cachorrada, eles puderam também assistir a uma apresentação de identificação de objetos através do faro.

Esta foi a segunda visita do Canil esta semana. Na última quarta (21), Black e Pantera também estiveram com os abrigados da Casa Transitória. Foi, inclusive, a visita de uma adolescente desse abrigo à GMJ em junho que inspirou as atividades desta semana.

Tanto a Casa de Nazaré quanto a Casa Transitória são abrigos de acolhimento institucional com os quais a Prefeitura celebra termo de colaboração para abrigamento de até 55 crianças e adolescentes afastados do convívio familiar por conta de violação de direitos, por decisão judicial. Durante o acolhimento, é realizado um trabalho junto à rede socioassistencial até o retorno à família de origem, à família extensa (parentes próximos) ou, esgotadas as possibilitadas, a adoção.

Cachorro da raça Labrador de cor preta olhando para a câmera, com detalhes das mãos e pernas de crianças em volta, fazendo carinho
Pantera (foto) e Black receberam muito carinho da garotada

“Gostei de aprender que o treinamento para comandos é feito em inglês. Precisa dizer ‘sit’ para que o cachorro se sente e “down” para que ele se deite”, compartilhou uma das meninas. “Como é que os cães auxiliam nas ações policiais?”, perguntou uma outra jovem curiosa.

A gestora da UGADS, Maria Brant, explica a proposta da visita. “Encontros como este promovem o aumento do repertório, das relações e das experiências destas crianças e jovens. A ideia é proporcionar cada vez mais vivências como esta, para que conheçam cada vez mais serviços da Prefeitura”.

A coordenadora da Casa de Nazaré, Maria Aparecida da Silva, compartilha que atualmente há 11 acolhidos pela instituição. “Uma visita especial como esta, no espaço que é a casa deles, é de grande importância, pois, além de ser algo diferente da rotina, cria no imaginário delas a imagem de proteção e cuidado em relação às forças policiais, afastando a visão de repressão. Atividades como esta vão ao encontro do nosso lema, que é ‘criança e adolescente como prioridades absolutas e crianças e adolescentes acolhidos como prioridades das prioridades’”, compartilhou.

O encontro foi acompanhado pelos GMs M. Silva e Madeira, treinadores dos cães, do GM Patriota, e do subinspetor Vaz, este que detalha a composição do Canil. “Atualmente trabalhamos em 25 agentes com 16 cães. Além dos dois Labradores, 13 da raça Pastor Belga-Malinois e um Rottweiler, que atuam não só nas operações da GMJ, como colaboram com a Polícia Militar e Rodoviária, provas e campeonatos, busca de pessoas desaparecidas, treinamentos para outras corporações interessadas, e da Cãoterapia em hospitais para ajudar na reabilitação de pacientes”.

Crianças e jovens de costas assistindo a uma apresentação em um quintal com um guarda com uniforme e um cachorro
Black e Pantera fizeram também uma apresentação de identificação de objetos com o através do faro