Frango vira novo “vilão” da cesta básica e preços disparam

Os consumidores vão se assustar com os preços do frango, nos próximos dias. Houve uma disparada e segundo especialistas, “é só o começo” – lembra do arroz ? É igualzinho.

O advogado de Jundiaí, Emerson Pereira Sousa, enviou foto ao “Jornal da Região” da bandeja de pés de frango com 800 gramas a R$ 8,56, no Supermercado Boa.

“Considero uma iguaria no prato dos brasileiros, mas está cada dia mais triste degustar uns pés de frango”, comentou.

Um frango assado no final de semana poderá custar até R$ 50,00, nessa semana, devido os aumentos.

Um restaurante especializado do Jardim Bonfiglioli fixou um cartaz pedindo “desculpas” aos clientes por reajustar suas tabelas, devido os aumentos de preços.

Tem vendedor de frango assado que começou a vender cortado ao meio, para não ter tanto prejuízo.

O “Jornal da Região” procurou as avícolas para saber o motivo dessa disparada.

Segundo os produtores, um dos culpados é o milho. A saca, que custava R$ 40,00 foi para R$ 104,00. O milho representa 75% no custo da alimentação dos frangos.

Tudo isso sem falar nos gastos com transportes, armazenamento, abatedouro, salários e, por ser produto perecível, precisa ter distribuição rápida e não dá para estocar como alguns produtores fizeram com o arroz.

Os produtores dizem que é só o começo de uma “cadeia” que vai “estourar” no bolso do consumidor.

Como o Governo Federal não controla os aumentos nos preços dos combustíveis, tem ficado caro também encher um tanque de diesel dos caminhões, com R$ 1 mil por vez. Tudo isso será repassado para quem compra no supermercado.

O que aconteceu?

O aumento no preço do milho se deve às vendas para o Exterior, com Estados Unidos, Japão e Rússia importando dos produtores brasileiros.

O “agrícola está afetando o avícola”, informou um representante da região.

No Paraguai há produtores de milho querendo vender para o Brasil, mas os caminhoneiros estão parados.

Tudo isso vai afetar a cadeia produtiva de tal forma que vai ficar difícil para o mais pobre colocar alimento na mesa.

Por isso que é “só o começo” a onda de aumentos.

Com o preço de um dólar a R$ 5,00, tem compensado para o produtor de milho brasileiro vender para o Exterior.

Gás de cozinha

O presidente Jair Bolsonaro voltou a falar nesta sexta-feira (13), em Juazeiro do Norte (Ceará) que a população precisa “reagir” e cobrar dos governadores, para que façam como ele, que zerou os impostos federais.

“Os governadores têm culpa”, porque boa parte do preço de R$ 130,00 por um botijão está no ICMS cobrado pelos estados.

Essa semana o presidente também culpou os revendedores de gás, que estão exagerando nos preços.