Comitê regional define estratégias de conscientização do uso da água

A tarde desta quinta-feira (19) foi marcada pela realização da segunda reunião do Comitê Regional de Crise Hídrica que tem como objetivo discutir, monitorar e propor soluções acerca da situação do abastecimento das cidades que recebem água do Rio Jundiaí. O comitê é formado pelas cidades de Campo Limpo Paulista e Várzea Paulista, além da concessionária Sabesp. 

O encontro aconteceu no Auditório da Praça CEU em Várzea Paulista e contou com a presença do secretário de Meio Ambiente, Neive Noguero e da responsável pela Divisão Ambiental Silvia Rocha. Já a cidade de Várzea Paulista foi representada pelo gestor municipal de Meio Ambiente Peterson Afonso, o diretor João de Lima, além do coordenador da pasta, Rafael Tamberlini. A Sabesp foi representada pelo gerente de divisão Marcelo Maioli,  gerente de setor de Várzea Paulista, Marcos Uyehara, e o RP da concessionária Douglas Leite.

Uma das definições da reunião foi a de visitar propriedades rurais e industriais da região com o objetivo de criar uma parceria com esses proprietários e, juntos, discutirem maneiras de uso consciente da água. “Nossa região está, por enquanto, em estado de alerta. Mas para que a situação não piore precisamos unir todos os setores em prol da economia de água. Por isso, essa visita já deve começar na próxima semana”, diz Neive Noguero. 

Outras ações

Além das estratégias já definidas, a Sabesp entregou para os representantes do poder público cerca de 4 mil panfletos de orientação que deverão ser entregues para os alunos, nas escolas, além de faixas que estarão espalhadas pela cidade. O comitê está em sintonia e mantém contato diário sobre ações e atualização do estado de abastecimento da região. Os encontros presenciais acontecem quinzenalmente.

Confira dicas da Sabesp para o uso racional da água: https://tinyurl.com/uj4kyhtt.

Por que foi criado o Comitê?

O Comitê de Crise Hídrica foi criado devido à preocupação das prefeituras e Sabesp em decorrência da forte estiagem que a região vem sofrendo, já que toda a bacia dos Comitês PCJ (Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí) está sofrendo com a estiagem e estão em alerta quanto à situação.

A Defesa Civil de Várzea Paulista informou, na reunião, que a cidade não registra chuvas significativas há 19 dias e a próxima chuva está prevista inicialmente apenas para o dia 28 de agosto.

O volume do rio Jundiaí e dos córregos do Moinho e Guapeva, que são as fontes de captação, está abaixo do normal, prejudicando a captação da água, tratamento e entrega aos usuários. Lembrando que 70% do tratamento é realizado em conjunto com Campo Limpo Paulista, motivo pelo qual as duas Prefeituras uniram esforços, em conjunto com a concessionária.

 

%d blogueiros gostam disto: