Danilo Joan pede duplicação da Máximo Zamboto e Tancredo Neves

Investimento nas estradas e em equipamentos para a saúde foram as principais pautas levantadas pela população na nona audiência pública do Orçamento estadual para 2022, realizada nesta sexta-feira (27/8), no auditório da Prefeitura de Francisco Morato. O encontro, realizado pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, foi presidido pelo deputado Maurici (PT).

A reunião também contou com a presença do presidente da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento, deputado Gilmaci Santos (PT), e do deputado Enio Tatto (PT).

O prefeito de Cajamar, Danilo Joan, afirmou que a região precisa de melhorias para mobilidade urbana na região, por meio do acesso à rodovia dos Bandeirantes e da duplicação das rodovias Edgard Máximo Zambotto e Tancredo Neves. “Nós precisamos desenvolver, precisamos trazer logística, precisamos trazer indústria para a nossa região para que o nosso povo possa ter condições de trabalhar”, disse.

O vereador de Francisco Morato Jorge Gabriel reforçou a fala de Danilo pedindo investimento na duplicação. “Eu espero que realmente consigamos atender os anseios que não são pedidos do vereador ou do prefeito, são pedidos para a população, para a região”, declarou.

“A duplicação da Máximo Zambotto e da Tranquedo Neves atinge, diretamente, de forma positiva, os interesses de Caieiras, Francisco Morato, Franco da Rocha e Cajamar. Agora, duplicar as rodovias não é só obra, é também desapropriação, é também, inicialmente, um projeto executivo. Se nós pudermos cravar no orçamento do ano que vem a feitura de um projeto executivo para duplicação dessas rodovias muito importante e muito significativo”, disse o deputado Maurici.

Danilo Joan ainda falou da falta de equipamento para a realização de ressonância magnética. “Não dá pra imaginar que uma região do Estado de São Paulo com uma média de 700 mil habitantes que não conta ainda com uma ressonância magnética”, declarou.

O deputado Gilmaci Santos disse estar surpreso com essa situação. O parlamentar afirmou que garantirá com que a região receba o equipamento. “Me surpreende uma região desse tamanho e não ter uma ressonância magnética. Eu acho isso um absurdo tão grande, que nós como cidadãos, como parlamentares, nós não devemos e não aceitar essa situação. é uma situação que deve ser resolvida, não só no orçamento, mas imediatamente”, pontuou.

“Não dá pra admitir que o Estado, com uma força dessa, tenha esses detalhes de não ter uma ressonância aqui para a região”, afirmou o deputado Enio Tatto.

Aladim, prefeito de Mairiporã, sugeriu que o Estado subsidie obras para região no geral, para que a população não tenha que ir até a Região Metropolitana de São Paulo para utilizar serviços, como os de saúde. “Se nós pudermos estudar e fazer uma parceria com o Estado usando o nosso aparelho público, o Estado subsidiar pelo menos isso aqui, eu acho que a gente avança muito nessa conversa”, falou.

A prefeita de Francisco Morato, Renata Sene, listou algumas das necessidades da região, uma delas foi o pedido de apoio ao Samu regional, além de solicitar o fornecimento de medicações pelo Estado. “Para nós é uma oportunidade para que haja reconhecimento do Governo do Estado para essa importante região de trabalhadores”, concluiu.

%d blogueiros gostam disto: