Assaltante que morreu no hospital era procurado por latrocínio

O delegado da Polícia Civil de Campo Limpo Paulista, Rafael Diório, encaminhou à Justiça da cidade relatório sobre a morte de um rapaz de 22 anos, no Hospital São Vicente de Paulo, em Jundiaí, que era procurado pela prática de latrocínio.

Um comparsa do rapaz contou à Polícia que o jovem L.R.S.C., de 22 anos, é quem atirou na nuca e matou a empresária Marilda de Fátima Vieira Raphael, de 58 anos, durante roubo de moto em que ela estava no dia 25 de novembro de 2020, na Rodovia Edgard Máximo Zambotto, em Campo Limpo Paulista.

Marilda era empresária muito conhecida em Várzea Paulista.

A partir das investigações os policiais comandados pelo delegado Rafael Diório encontraram um traficante no Jardim Tamoio, em Jundiaí, com apoio da Polícia Militar e da Guarda Municipal.

O traficante acabou contando que não foi o responsável pelo latrocínio, mas o seu “amigo”.

O delegado pediu a prisão preventiva, que foi convertida em temporária. Mas o jovem estava foragido.

No dia 3 de setembro, novamente L.R.S.C. agiu em roubo de moto no bairro Campo Verde, em Campo Limpo Paulista. Mas a vítima de uma Hornet era agente penitenciário de Franco da Rocha, que estava armado e reagiu.

O ladrão e o comparsa ficaram feridos. O criminoso foi socorrido ao Hospital São Vicente de Paulo, onde ficou internado e faleceu na manhã de quarta-feira, dia 15.

A Polícia Militar e a Polícia Civil mobilizaram na data dos fatos seus helicópteros para realizar buscas aos ladrões de moto.