Setor de atendimento ao paciente do HSV comemora 1 ano de serviço

O setor do Núcleo de Atenção ao Cuidado (NAC), do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo (HSV), celebra neste mês, o primeiro ano de serviços prestados aos pacientes da unidade e seus familiares.

Em abril de 2020, o hospital deu início a uma equipe de comunicação, que tinha por finalidade estabelecer uma rotina de contato a fim de passar informações dos pacientes Covid-19, que estão em isolamento no hospital, reduzindo os impactos do distanciamento e prestando uma assistência humanizada ao familiar e ao paciente. O contato era feito por uma equipe multidisciplinar composta por enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais.

No mesmo ano, com o apoio da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde e a Prefeitura de Jundiaí, o HSV deu início ao mais novo projeto da “Alta Responsável”, que visa garantir a continuidade do cuidado ao paciente após a alta hospitalar, e desta vez, aderindo não somente o cuidado aos pacientes com diagnóstico ou suspeita de Covid-19, mas abrangendo a todos os internados na unidade. Desta forma, o programa conhecido anteriormente por “Programa de Comunicação com o Familiar”, passou a ser conhecido como Núcleo de Atenção ao Cuidado (NAC).

Atualmente, o setor  conta com a colaboração de oito profissionais, sendo duas psicólogas, cinco agentes administrativos e um jovem aprendiz, todos empenhados e sensíveis as demandas trazidas pelos pacientes e seus familiares. Os mesmos são responsáveis por desempenhar atividades como o acolhimento e contato telefônico com os familiares a fim de levantar informações sobre o paciente, compartilhamento dos dados colhidos pela equipe que são encaminhados por e-mail para a Unidade Básica de Saúde de referência do paciente, junto aos documentos de admissão e alta hospitalar.

Outro processo a ser realizado pela equipe é o monitoramento pós-alta hospitalar, o primeiro após os dois dias e o segundo após quinze dias, afim de saber sobre o estado de saúde do paciente, se está realizando acompanhamento médico ou está ciente dos encaminhamentos clínicos. Logo, o mesmo segue recebendo todo o acompanhamento e suporte necessário para que sua recuperação seja completa e perto de sua residência.

Ações de telemonitoramento

Segundo um levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Segurança do Paciente (IBSP), as taxas de readmissão no Brasil são elevadas (19,8%). As ações de telemonitoramento possibilitam maior compreensão e sensibilização do usuário e de seu familiar sobre a importância da continuidade do cuidado, gerando assim, melhor qualidade de vida e consequentemente diminuição das taxas de reinternação hospitalar.

Sob a coordenação da psicóloga Caroline Alves, a ação já beneficiou mais de nove mil pacientes, com um total de 29.595 ligações realizadas, 15.690 ligações de acolhimento e cerca de 13 mil ligações de monitoramento ao paciente. Entre os e-mails encaminhados para as UBS’s de referência (altas e admissões), até o momento foram enviados 20.658, sendo 9.948 de altas hospitalares.

“O hospital obteve uma redução nos números de reinternação global (pacientes que necessitam de hospitalização em até 30 dias após a última alta hospitalar).  No ano de 2019 a taxa foi de 15,04%, em 2020, 12,41% e até o momento obtivemos 12,02% desses casos. Considerando o mesmo percentual de pacientes, mas subtraindo os oncológicos, entre os respectivos anos de 2019, 2020 e 2021, tivemos a diminuição de 12,55% para 8,31%”, explica Caroline. 

Ainda falando sobre redução nos números de internação, a coordenadora do setor apresenta taxas de redução desses números em casos de reinternação precoce ajustada, considerando todos os pacientes da instituição, exceto os oncológicos, que precisaram retornar para o hospital em até sete dias após a alta médica. “No ano de 2019 a taxa de hospitalização precoce foi de 4,68% para 3,68%, mostrando assim a melhora da qualidade da assistência prestada aos usuários”, pontua ela.

Para o paciente Júlio César Matias, 51 anos, utilizou o serviço no início do ano e retribui com gratidão e muitos elogios. “Estou tratando um câncer de intestino e fígado há quatro meses e desde a minha internação no hospital fui acolhido e bem tratado não somente por toda a equipe de médicos e enfermeiros, mas principalmente pelo NAC. Sem dúvidas são pessoas atenciosas, prestativas e generosas. Graças a Deus, após a minha alta não precisei de acompanhamento na UBS, mas me ligaram oferecendo todo o suporte, me instruíram e me orientaram da melhor forma caso eu recorresse ao acompanhamento. Foi um momento muito difícil para mim e a preocupação que tiveram comigo me fez sentir confiança em passar por esse processo”. 

“Características como prontidão, acolhimento, empatia, sensibilidade e comprometimento definem o dia a dia do setor. Sou muito grata ao hospital por acreditar no trabalho da nossa equipe e grata aos meus funcionários por toda dedicação e cuidado com nossos usuários”, finaliza Carol.

Com informações da assessoria de imprensa

%d blogueiros gostam disto: