Doria evita restrições e sugere ações das Prefeituras

ARTUR RODRIGUES

(FOLHAPRESS) – O governo João Doria (PSDB) anunciou, nesta quarta-feira (12), que vai recomendar a municípios a redução em 30% dos eventos com aglomeração. No entanto, isso ficará a cargo das prefeituras.

A gestão tucana citou como exemplos eventos esportivos, musicais, festas e outras atividades que geram aglomeração.

A informação foi dada em coletiva no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, para anunciar medidas de combate ao coronavírus.


O médico João Gabbardo, do comitê científico da gestão, afirmou que a situação fica a cargo das prefeituras. ” Sugestão para os municípios que faça redução de 30% na capacidade de público dos eventos, mas deixa em aberto que isso fica a critério do município. Dependendo da situação epidemiológica do município esse percentual pode ser aumentado”, disse.

Doria disse que a orientação é com base na saúde e na ciência.

Na terça (11), o governador havia dado a entender que haveria novas restrições. “Vamos ter evidentemente restrições que já foram apresentadas para eventos de aglomerações”, disse. “Grandes aglomerações não são recomendáveis, e o comitê científico do estado de São Paulo já expressou essa deliberação.”

O governo apresentou dados mostrando a aceleração da doença no estado. A média móvel diária de novas internações por semana aumentou 30,1%.

Em um dia, os internados em UTI subiram de 1.727 para 1.824. Os internados em enfermaria subiram de 3.413 para 3.679.

A Prefeitura de São Paulo informou nesta terça que a variante ômicron já responde por 80% das amostras analisadas. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, das 105 amostras examinadas pelo Instituto Butantan, 20 (19,4%) foram positivas para variante delta e 85 (80,95%) para a nova cepa.

%d blogueiros gostam disto: