Rock In Rio: Palco dedicado à música eletrônica faz sucesso no festival

Por Marcio Dolzan / (ESTADÃO)

Os olhos, as câmeras e as atenções costumam ficar apontados para os Palcos Mundo e Sunset no Rock in Rio, mas é no extremo oposto da Cidade do Rock que fica o mais ativo espaço de música de festival. O New Dance Order funciona todos os dias das 16h às 4h da manhã, sendo o único que tem programação ininterrupta.

A programação prevê 60 shows de música eletrônica no local do primeiro ao último dia. Quem passa por lá se depara com gêneros como house, techno, trance, bass, trap, EDM. Os DJs ficam no centro do palco, e a estrutura é um espetáculo à parte. Ao todo, são 65 metros de comprimento por 24 de altura que reúnem 560 metros quadrados de LED screen. Resumindo, show de luzes não falta – e isso é o tempo todo.

O palco é uma opção para quem quer curtir o Rock in Rio madrugada adentro, mas também é um atrativo para o público em geral a partir do fim da tarde. Mesmo quem está simplesmente passando pelo local acaba dançando ou balançando a perna ao ritmo das batidas. Vale inclusive para os vendedores que passam com o cooler de cerveja ou energético às costas.

Há também quem prefira passar a maior parte do dia justamente em frente ao palco para curtir o som. “No domingo, dia do show do Justin, a gente ficou a maior parte do dia aqui, até o Justin começar. A gente gosta muito de eletrônica”, disse a estudante Júlia Carvalho, de 22 anos, que cursa engenharia de produção. “Palco dance combina muito com o evento, porque isto é um festival, não é só rock.”

Júlia estava na companhia do namorado, o estudante de engenharia Thalison Barbosa, de 31 anos. “Gosto de Coldplay, mas também gosto de música eletrônica. Tem Cascade ainda hoje!”, lembrou ele, se referindo ao show de sábado. “Acho muito legal ter este palco. E não sou o único, aqui também está sempre cheio.”

Os DJs que se apresentam vêm de diferentes partes. “Eles vêm do Egito, da Alemanha, dos Estados Unidos, mas principalmente do Brasil. A gente procura ser diverso e abrir espaço para nichos musicais e comportamentais distintos. O line-up deste ano foi muito rico nesse aspecto”, explicou Claudio Miranda, diretor artístico do New Dance Order.

Miranda justificou a existência do palco, construído pela segunda vez no Rock in Rio e já garantido também no The Town, festival que terá sua primeira edição ano que vem, em São Paulo. “O Rock in Rio é um festival diverso e transgeracional, como é a música eletrônica, que se mantém há aproximadamente 25 anos”, pontuou. “Não tem como ter um festival dessa magnitude sem um palco dedicado à música eletrônica.”

%d blogueiros gostam disto: