Motoristas no celular e que andam devagar, irritam usuários de rodovias

Motoristas que usam o celular enquanto dirigem (31%), que “costuram” os outros veículos (25%), que dirigem devagar na faixa da esquerda (20%), que não olham para o retrovisor (20%) e que andam muito devagar (19%) são aqueles que trazem mais incômodo no trânsito, de acordo com levantamento inédito feito pela CCR para a Semana Nacional de Trânsito (SNT), que ocorre entre 18 e 25 de setembro. Neste ano, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) definiu que as entidades ligadas ao setor realizem, durante a SNT, campanhas de orientação com o objetivo de alertar a população de que fortes emoções, como raiva e medo, não façam parte do dia a dia do trânsito.

A consulta foi realizada entre os dias 29 de agosto e 2 de setembro em 11 praças de pedágio localizadas em sete rodovias sob gestão da companhia em São Paulo (Via Dutra, Via Anhanguera, Rodovia dos Bandeirantes, Rodovia Governador Adhemar de Barros, Rodovia Castello-Branco, Rodovia Raposo Tavares e no trecho Oeste do Rodoanel Mário Covas), totalizando 1.610 quilômetros. Ao todo foram ouvidos 8.979 pessoas, entre motoristas de veículos de passeio (78%) e caminhões (22%). Foram consultados 7.110 homens (80% do total) e 1.869 mulheres (20%). Deste total, 65% reportaram incômodo nos últimos 30 dias com algum tipo de comportamento no trânsito (foi permitido apontar mais de uma causa de incômodo). O levantamento mostra ainda que 93% estavam utilizando cinto de segurança no momento da entrevista (ou seja, 7% não estavam com o cinto, embora seu uso seja obrigatório).

“O levantamento tem dois grandes méritos. Primeiro, traz um diagnóstico muito claro dos comportamentos que geram mais incômodos no trânsito. E, em segundo lugar, serve de subsídio para aprimorarmos nossas campanhas educativas: quais recomendações devemos passar aos motoristas”, explica Fausto Camilotti, diretor de operações da CCR Rodovias.

Mulheres X Homens

Os dados mostram ainda que homens e mulheres se incomodam por comportamentos diferentes no trânsito. As maiores discrepâncias observadas são trafegar devagar (20% para homens e 13% para mulheres) e carro colado na traseira (incômodo que as mulheres sentem mais, 21%, que os homens, 15%).

%d blogueiros gostam disto: