DIG identifica bolsonaristas que atacaram estudantes

A equipe do delegado Carlos Eduardo Barbosa Soares, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jundiaí, identificou nesta sexta-feira (04) os envolvidos que invadiram veículo da Auto Ônibus 3 Irmãos e atacaram estudantes da Escola Técnica Vasco Antônio Venchiarutti.

O ataque ocorreu, na tarde de quinta-feira (03), quando o coletivo parou em congestionamento em frente de manifestação na porta do Quartel, na Avenida 14 de Dezembro, na Vila Rami.

Um dos estudantes sofreu lesão no supercílio, com sangramento quando uma pedra foi arremessada contra a janela do ônibus.

O delegado já ouviu dois dos envolvidos.

A equipe de investigadores identificou o autor de ter arremessado a pedra que provocou ferimento no jovem de 18 anos.

Uma mulher que estava com o grupo tentou acalmar os ânimos e evitar agressões contra os estudantes.

O delegado Carlos Eduardo disse que agora vai concluir o inquérito que será encaminhado para a Justiça, com base nos depoimentos.

No Plantão da Polícia Civil de Jundiaí, na noite de quinta-feira, o delegado Alexander de Paula Silva, ouviu as vítimas – dois jovens e o motorista do ônibus.

Houve dano ao coletivo e a empresa de ônibus vai processar os responsáveis.

Um dos organizadores do movimento procurou o “Jornal da Região” para pedir desculpas aos estudantes pelo comportamento dos envolvidos.

Ele disse que o movimento é pacífico, que orienta os participantes a não revidarem provocações. Porém, não foi isso que ocorreu.

Os jovens teriam gritado, de dentro do ônibus, “Lula. Fora Bolsonaro…”.

Protesto

Um grupo de mães também foi, na tarde desta sexta-feira (04) até a porta do Colégio Siqueira de Moraes, no bairro do Vianelo, para pedir ao delegado de Ensino da Secretaria de Educação que adote medidas junto à Polícia Militar, para garantir a segurança dos estudantes da Escola Técnica.

O Conselho Tutelar de Jundiaí também emitiu nota em apoio aos estudantes.

 

 

%d blogueiros gostam disto: