JUNDIAÍ

Banco de Leite recebe doação do Rotary Club

O Banco de Leite Humano do Hospital Universitário de Jundiaí recebeu 3 bombas eletrônicas extratoras de leite da marca MAM, utilizadas para facilitar a ordenha do leite humano no Banco de Leite, através do projeto “Um gesto de amor que salva-vidas”. Os equipamentos, orçados em R$ 4.455,00, foram doados pelo Rotary Club de Jundiaí Vila Arens.

A entrega oficial foi realizada dia 16 de fevereiro pelos membros do Rotary Club: Suzete Mensato Nachbar (Imagem Pública), Cleanto Medeiros (Protocolo), João Castro (2º Protocolo) e Vilma Nicolau (Associada do Rotary). Participaram também da cerimônia de entrega oficial Marcela Carvalho (Coord. Do Banco de Leite), Dr. Juan Carlos Melgar (Médico obstetra e professor da FMJ), Dr. Rodrigo Paupério S. De Camargo (Diretor Técnico do HU) e Dr. André Prado Grion (Vice Diretor Clínico do HU).

A coordenadora do Banco de leite Humano Marcela Carvalho falou um pouco sobre o papel do banco de leite na região de Jundiaí: “O Banco de Leite Humano atende aproximadamente 800 mulheres por mês, entre doadoras, gestantes e mães que necessitam de leite materno para seus filhos. O banco realiza um trabalho de conscientização e apoio relacionado a amamentação, os equipamentos doados irão contribuir muito nessa ação, as bombas extratoras de leite humano podem ajudar as mulheres com eficiência na retirada de leite”, explica.

Em casos de mamas muito cheias, após a massagem, as bombas podem auxiliar de maneira efetiva e rápida na extração do leite, favorecendo a pega e sucção do bebê.

Em caso de mulheres separadas de seus filhos, como ocorrem no caso de prematuridade, elas podem auxiliar no estímulo à produção de leite, pois favorecem a retirada de leite proporcionando que a produção de leite seja mantida.

A utilização da bomba nesses casos possibilita o alívio da dor pelo quadro de mamas cheias, tornando o atendimento bem mais humanizado, contribuindo com o cuidado prestado ao recém-nascido.

Em caso das bombas extratoras duplas, ao passo que são colocadas simultaneamente nas mamas, promovem liberação de ocitocina simultaneamente, e favorece a produção e saída do leite. “Em muitos casos podem ser evitadas muitas complicações decorrentes das mamas cheias, co mo mastites e abcessos mamários”, finaliza Marcela.