CIDADESGERAL

Adolescente usava máscara de caveira durante ataque em SP

ISABELA PALHARES, ISABELLA MENON E FRANCISCO LIMA NETO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O adolescente de 13 anos que atacou uma escola de São Paulo na manhã desta segunda-feira (27) invadiu a sala usando uma máscara de caveira e esfaqueou uma professora que estava de costas, segundo as imagens do circuito de interno.

Uma docente morreu e outras cinco pessoas ficaram feridas, sendo três professores e dois alunos. Ainda não há informação sobre quem é a mulher que aparece sendo esfaqueada no vídeo ou sobre qual seu estado de saúde.

De acordo com o governo do estado, a morta é a professora de ciência Elizabeth Tenrero, 71.

O ataque ocorreu na escola estadual Thomazia Montoro, na rua Adolfo Melo Júnior, na Vila Sônia, zona oeste da capital.

As imagens das câmeras mostram que o adolescente entra correndo em uma sala de aula e parte para cima da professora que estava em pé, atrás de uma mesa.

A docente não percebe a aproximação do agressor e é atingida violentamente por diversos golpes nas costas e cai.

Os estudantes correm para fora da sala e o adolescente agressor vai atrás deles. Um dos alunos que continua na sala vai em direção à professora que está caída no chão. A imagem é cortada nesse momento.

Um segundo vídeo de monitoramento exibe o adolescente atingindo outra professora. Ele desfere vários golpes na mulher, que está em pé e tenta proteger a cabeça com os braços.

A docente cai ao chão e continua recebendo os golpes e é arrastada pelo aluno.

Duas mulheres entram na sala e uma delas consegue imobilizar o agressor e enquanto a outra retira a faca das mãos dele.

Um aluno disse à reportagem que o adolescente agressor chegou à escola normalmente para a aula como sempre fazia, mas colocou uma máscara com estampa de caveira e esfaqueou uma professora pelas costas.

Esse estudante afirmou que testemunhou na semana passada uma briga entre o suspeito e outro estudante, que tiveram de ser separados por um professor. Ele disse também que saiu correndo da escola quando viu o ataque e acabou torcendo o pé.

O suspeito tem 13 anos e é aluno do 8º ano do ensino fundamental. Ele foi apreendido pela polícia. Alunos e pais estão na frente da escola, muitos chorando.

O Corpo de Bombeiros está no local prestando atendimento às vítimas. O helicóptero Águia da PM está de prontidão no local caso seja necessário. Ambulâncias do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) também atendem a ocorrência.

As vítimas foram socorridas e levadas para hospitais da região.

De acordo com a Polícia Militar, as informações sobre a ocorrência ainda estão sendo apuradas.

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), posicionou-se sobre o episódio em suas redes sociais. “Não tenho palavras para expressar a minha tristeza com a notícia do ataque a alunos e professores da Escola Estadual Thomazia Montoro. O adolescente de 13 anos já foi apreendido e nossos esforços estão concentrados em socorrer os feridos e acolher os familiares”, escreveu.

OUTROS CASOS

Outros casos de violência dentro do ambiente escolar marcaram o país nos últimos anos.

Em 13 de março de 2019, dois ex-alunos invadiram a escola Raul Brasil, em Suzano, e dispararam em direção a um grupo de alunos e da coordenadora pedagógica, Marilena Ferreira Umezu, uma das vítimas.

Policiais chegaram à escola quando os dois atiradores ainda faziam os disparos na direção dos estudantes, que deixavam o prédio desesperados.

Em setembro de 2019, um estudante de 14 anos esfaqueou um professor nas dependências do CEU (Centro Educacional Unificado) Aricanduva, na zona leste. O ataque causou pânico e correria entre alunos e professores.