CIDADESITUPEVAJUNDIAÍPOLÍCIA

Mulher morre em aula de jiu-jítsu em Jundiaí

Uma moradora de Itupeva morreu, na noite de quarta-feira (03), em aula de jiu-jítsu no salão de treinos do Clube Uirapuru, no bairro do Aeroporto, em Jundiaí.

A vítima, Érika Pivetta, de 44 anos, era convidada de um grupo de Itupeva para conhecer as aulas em Jundiaí.

O delegado Alexander de Paula Silva foi informado da morte e requisitou exames no corpo pelos peritos do Instituto Médico Legal (IML).

Depoimentos

Uma testemunha relata que a mulher não era aluna do curso de Jundiaí, tendo comparecido como visitante. Que o Clube exige declaração médica dos praticantes.

Outra testemunha disse que a vítima não fazia movimentos que pudessem levar a ferimentos. No momento Érika estava sobre outra aluna, quando desmaiou. Que ela participou normalmente de um aquecimento.

Um funcionário pegou oxímetro e deu batimento quase zero, acionando o Corpo de Bombeiros e o SAMU.

Que a viatura do SAMU chegou depois de meia hora. Mas pelo telefone um atendente pediu para fazer massagens cardíacas, passando outros procedimentos.

De acordo com a diretoria do Clube, todas as medidas de segurança foram adotadas e a instituição segue as normas.

Um familiar prestou depoimento na Polícia e confirmou que Érika fazia aulas com amigas em Itupeva e foi convidada para conhecer o curso de Jundiaí.

Que ela não tinha problemas de saúde, exceto por uma queda em corrida na Capital. Mas ela não bebia e não fumava. Não tinha queixas de problemas cardíacos.

O caso será apurado pela equipe do delegado Carlos Eduardo Barbosa, do 5° Distrito Policial, no bairro Eloy Chaves. Ele deve intimar as amigas da vítima e o professor da Academia de Jiu-jítsu para esclarecimentos.

A Polícia Civil registrou o caso como “morte suspeita “.