Mulher atropelada ainda não foi identificada

O Instituto Médico Legal (IML) de Jundiaí continua tentando identificar uma mulher que morreu atropelada na Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto, na última terça-feira (dia 21).

A mulher foi levada pela AutoBAn para o Hospital São Vicente de Paulo. Ela deu entrada no Pronto Socorro sem documentos e com traumatismo na cabeça. De madrugada morreu e o corpo foi encaminhado para o necrotério.

A equipe do IML pede para as pessoas que verifiquem se alguém desapareceu do convívio ultimamente, como no trabalho ou vizinha, com as seguintes características: morena escura, magra,  1m60, pesando 58 quilos e aparentando entre 35 e 40 anos de idade. Ela têm cabelos curtos e não possui nenhuma tatuagem no corpo ou cicatrizes. Ela era bem cuidada, o que descarta ser moradora de rua.

Quem souber de alguma mulher nessas características que esteja desaparecida pode mandar parentes no Cemitério do Montenegro, na região do Jardim do Lago, em Jundiaí.