Duas décadas sem Diana

Há 20 anos, o mundo se chocava com o desfecho trágico de uma história que começou como um conto de fadas. O ‘Arquivo N’, da Glboo News, que vai ao ar nesta quarta-feira, dia 30, às 23h, faz uma homenagem à princesa Diana, que morreu em um acidente de carro no dia 31 de agosto de 1997. Em um mundo de tradições e protocolos, Lady Di escolheu ser ela mesma, como admite em uma entrevista recuperada pelo programa: “Gostaria de ser uma rainha no coração das pessoas. Não me vejo como rainha da Inglaterra”.

Aos olhos de todos, Lady Diana Spencer tinha uma vida perfeita: era linda, jovem, considerada um ícone da moda, ideal de beleza e elegância feminina, e se uniu ao solteiro mais cobiçado do planeta. Da suntuosa cerimônia de casamento com Charles, o príncipe de Gales, em 1981, ao dia a dia marcado por traições e escândalos, a vida de Diana ganhou as manchetes dos tabloides ingleses. Os paparazzi se tornaram uma companhia constante e indesejável onde quer que ela estivesse. “Nunca sei onde as lentes vão estar. Em um dia normal, sou seguida por quatro carros. Em um dia normal, volto para o meu carro e encontro seis fotógrafos freelancers em volta de mim. Algumas pessoas dizem que se tivesse um policial por perto, facilitaria. Não facilita em nada. Eles decidiram que sou um produto que há quinze ou dezesseis anos vende bem”, desabafa Diana em outra entrevista resgatada pelo ‘Arquivo N’.

E foi exatamente tentando se esquivar de fotógrafos, em Paris, que ela sofreu o acidente que lhe tirou a vida, aos 36 anos de idade. O programa relembra as circunstâncias de sua morte, a comoção mundial com a tragédia, e traz imagens de arquivo e depoimentos inéditos dos filhos, os príncipes William e Harry.