Polícia Civil prende em Várzea ex-funcionário da CPFL

Os investigadores da Polícia Civil de Várzea Paulista, Sandro e Rodrigo, prenderam um eletricista de 38 anos, de Francisco Morato. Ele é acusado de extorquir moradores e comerciantes da Vila Popular.

De acordo com a denúncia apresentada ao delegado Marcel Fehr, o eletricista foi demitido há sete meses da CPFL e não devolveu o uniforme. Ele saía pelas ruas de Várzea Paulista exigindo de comerciantes e moradores o pagamento de dinheiro, caso contrário faria corte da energia, mesmo os clientes alegando que já tinham feito pagamentos.

O delegado disse que não foi um estelionato, mas uma extorsão mesmo. Uma mulher e o dono de um bar reconheceram o autor como o homem que cobrou para não fazer corte do fornecimento de energia.

O doutor Marcel pede para as vítimas comparecerem na Delegacia para fazer boletim de ocorrência, se também pagaram alguma quantia, para o processo contra o autor ou que liguem no telefone dos investigadores, no 4606-1431.

“As vítimas não foram enganadas como no estelionato, mas ameaçadas com o corte. Isso é extorsão”. O delegado lembra que para um comércio é um prejuízo muito grande o corte da energia, porque os alimentos podem estragar e ter outras consequências.

O delegado da Polícia Civil de Várzea Paulista determinou a apreensão do uniforme da CPFL usado pelo ex-funcionário e também do carro que ele usava.