VÍDEO: Pai diz que alunos correm risco de morte em escola

A Escola Estadual “Maurílio Tomanik”, no Parque Cecap, em Jundiaí, tem ganhado os noticiários policiais com muita frequência. Agora foi um incêndio provocado nas cortinas de uma das salas de aulas do Ensino Médio.

Enquanto outros colégios da cidade figuram as páginas de Educação, com desempenhos exemplares de alunos – ganhando inclusive prêmios em concursos, como de Matemática -, no colégio o que se vê é a impunidade e repetição de ocorrências criminais.

A Secretaria de Educação do Estado prometeu em abril deste ano (mas pelo jeito não teve sucesso), uma intervenção para acabar com os problemas.

Em abril houve confronto de alunos contra guardas municipais e ameaças de morte a professores. Uma das alunas contou ao “Jornal da Região” que a única solução seria a Guarda Municipal dentro das salas de aulas e, segundo a própria adolescente as coisas “iriam piorar”.

De acordo com um pai, que conversou com funcionários, na hora do fogo que queimou as cortinas, os portões estavam trancados com cadeados. As crianças podiam ter morrido, se as chamas se alastrassem para todo o prédio. Funcionários apagaram o fogo e não precisaram acionar o Corpo de Bombeiros.

Os professores estão ficando doentes e já pediram a expulsão dos “alunos” que estão causando problemas. Mas não foram atendidos pela instituição. Eles sentem que não existe autoridade para adotar medidas.

A Diretoria da Escola registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil, que vai investigar as responsabilidades. Posteriormente a delegacia encaminhará os dados para a Vara da Infância e Juventude, no Fórum.

Na opinião dos funcionários, segundo informou o pai, há necessidade de medidas enérgicas contra os vândalos. E medidas protetivas para os professores e estudantes que querem aprender.

“Temos na escola verdadeiros criminosos que precisam ser separados de quem é bom”, comentou um funcionário para o pai, que pede ações das autoridades competentes, além de medidas práticas da Secretaria de Educação do Estado.

Impunidade na cidade
Os atos de vandalismo em Jundiaí estão tomando proporções que beiram o descontrole geral. Na segunda-feira (04) algumas lixeiras do Centro da cidade foram incendiadas. Os comerciantes ficaram preocupados com a situação e pediram mais segurança na região.

No transporte coletivo os empresários pediram ajuda das polícias Civil e Militar, para punir os vândalos que estão destruindo os ônibus. Os carros novos comprados para oferecer conforto à população já foram pichados e os carregadores de celulares danificados. Os vândalos também promovem destruição das saídas de emergências, fazendo com que os carros sejam retirados de circulação.