Jundiaí é a 7ª no País em qualidade para idosos

O  Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), divulgou relatório em que aponta que Jundiaí ocupa a 7ª colocação em cuidados e qualidade de vida para os idosos.

Com aproximadamente 400 mil habitantes, Jundiaí completa 363 anos nesta sexta-feira, dia 14 de dezembro.

O município se destacou como a 7ª grande cidade brasileira dentre os 150 municípios com mais de 150 mil moradores pesquisados pelo Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade (IDL). O estudo estabelece o ranking de melhores lugares para se viver e a cidade cuida de quem tem mais de 60 anos.

Por meio do IDL são reveladas as atuais condições das cidades brasileiras, tendo em vista sua capacidade de atender às necessidades básicas de vida, destacadamente dos adultos mais idosos.

“Os brasileiros com mais de 60 anos enfrentam não só o desafio do envelhecimento, como também as incertezas quanto às condições financeiras no futuro e quanto à condição de saúde para desfrutar de uma vida tranquila. Nosso objetivo com o IDL é oferecer uma ferramenta de diagnóstico para os gestores públicos municipais que queiram desenvolver políticas públicas mais alinhadas às reais necessidades dos idosos, a fim de melhorar a qualidade de vida desta população”, comenta Antonio Leitão, gerente do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon.