Motorista de ônibus que fizer greve pode perder o dia

As empresas de ônibus de Jundiaí informam que vão tentar manter os serviços de transporte urbano operando normalmente, nesta sexta-feira, dia 14, data em que alguns sindicatos convocaram paralisação contra o Governo Bolsonaro e a Reforma da Previdência.

As empresas esclarecem que os motoristas que paralisarem as atividades perdem o dia de trabalho, uma vez que a greve não foi comunicada pelo Sindicato da Categoria com 72 horas de antecedência.

Em São Paulo a Justiça vem considerando as paralisações nos setores de transportes como ilegal.

Sindicatos anunciam que vão promover atos na Praça da Catedral, no Centro de Jundiaí, durante todo o dia. Os bancários já confirmaram que as agências da cidade não vão abrir, porque participarão do movimento de protesto.