Seguranças da CPTM são agredidos por ambulantes

Dois seguranças da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) foram agredidos violentamente por quatro vendedores ambulantes, na Estação do Botujuru, na tarde de segunda-feira, dia 05. Um dos seguranças foi liberado depois de ser medicado no Hospital de Clínicas de Campo Limpo Paulista. O outro foi transferido para o Hospital São Vicente de Paulo, em Jundiaí, em estado grave. Em fevereiro deste ano, após emboscada, vendedores ambulantes também atacaram vigilantes da CPTM (foto).

De acordo com o boletim de ocorrência feito pelo delegado Adalberto Ceolin, do Distrito Policial de Campo Limpo Paulista, os vigilantes tentaram evitar que dois ambulantes entrassem nos trens sem pagar a passagem. Depois de algum tempo esses dois ambulantes chegaram com mais dois homens armados com pedras e paus e passaram a agredir os funcionários da CPTM.

A Polícia Militar de Campo Limpo Paulista foi acionada para comparecer na Estação do Botujuru, que é uma extensão da linha 7-Rubi. Os policiais socorreram os vigilantes até o hospital e apresentaram a ocorrência na Delegacia.

CPTM repudia a atitude dos vendedores ilegais e a violência.

A Companhia reforça que o decreto que criou o sistema ferroviário proíbe o comércio ambulante nos trens e estações. A pessoa flagrada vendendo produtos irregulares terá a mercadoria apreendida e perde o direito de viagem.

A Companhia diz que não se intimidará com ameaças e ações de violência e continuará combatendo o comércio ambulante no sistema.

Roubo

A esposa do vigilante que está internado no Hospital São Vicente disse que os ambulantes também roubaram a carteira dele e o telefone celular, da marca Alcatel. Na carteira havia dinheiro, Carteira de Habilitação, RG, cartão de alimentação, cartão do banco Santander e cartão da SPTrans.