Bandidos invadem grupo de WhatsApp

A ousadia dos golpistas não tem mais limite. Depois de descobrirem como “sequestrar” as contas de WhatsApp, agora eles invadem grupos de amigos e profissionais, se passando por um dos integrantes.

Uma leitora do “Jornal da Região” conta que um bandido se passou por uma das integrantes do grupo de moradores do bairro – que é de classe média para alta.

O bandido se passou por uma das moradoras antigas que é muito querida de todos.

Ele pedia dinheiro e dizia que era para uma emergência.

Mesmo com a formação universitária de cada um e os conhecimentos, a maioria do grupo se solidarizou com a “vizinha”, querendo ajudá-la em um momento de “aflição”. Mas, hoje descobriram que era golpe.

Os integrantes do grupo correram para tentar cancelar a transferência. Mas os gerentes informaram que o dinheiro já havia sido sacado do banco Itaú de Aricanduva.

“Foi muito rápido. O gerente falou que eles ficam do lado do caixa para sacar o dinheiro, assim que são feitos os depósitos”, comentou uma das integrantes do grupo.

A moradora pede para a população desconfiar e não dar dinheiro para ninguém. Qualquer pessoa pode cair no golpe, acreditando que é um parente ou amigo em dificuldades.

A leitora disse que os vizinhos decidiram ir no Plantão Policial da Avenida Nove de Julho, para prestar queixa.

Recentemente um comerciante de Jundiaí, bastante conhecido, dono de uma grande rede de lojas caiu no mesmo golpe. Pediram para ele passar o código enviado no WhatsApp e ele inocentemente entregou aos bandidos. A partir daí teve de correr para cancelar a linha, trocar de chip e avisar os familiares e amigos.

Transtornos 

Os golpistas costumam também ligar para os donos de celulares se passando por funcionários do OLX (para quem publica anúncios no site de classificados), como representantes do Mercado Livre (de produtos à venda) e ainda de cartões de crédito, avisando que foram feitos lançamentos indevidos na conta e precisam de confirmação para exclusão dos débitos.

Tem ainda um golpe mais sofisticado em que os marginais falam que vão mandar o motoboy para retirar o cartão com problemas e a partir disso fazem compras que o cliente não tem como cancelar, porque entregou espontaneamente o cartão a um desconhecido.